segunda-feira, 6 de abril de 2020

«Ofentsiba gelditu! Parar a ofensiva!»

[De Gazte Koordinadora Sozialista] Es el momento de hacer política desde una óptica proletaria. Como dijimos el pasado día 20, hemos optado por organizar recursos para la defensa de las condiciones de vida y libertades políticas de los colectivos más golpeados durante estas semanas.

- El estado de alarma ha generado que gran parte de la clase trabajadora pierda el empleo y tenga dificultades para mantener la vivienda.
- Con el estado de alarma se limitó la circulación de la población y se estableció el confinamiento, y desde entonces los derechos fundamentales de la población han sido suprimidos.
- En el ámbito laboral, trataremos de dar respuesta a cuatro situaciones estructurales que vive el proletariado.

En los próximos días se comunicará en diferentes provincias que medios pondremos a disposición para hacer frente a las problemáticas. Además, las personas afectadas en dichas problemáticas podrán ponerse en contacto mediante un correo que facilitaremos. / Mais info: @Gazte_KS

Covid-19: milhões de trabalhadores migrantes passam por «dificuldades» na Índia

Desde que o lockdown (fechamento, quarentena) entrou em vigor, a 25 de Março, muitos trabalhadores migrantes nas cidades, pobres e subitamente sem rendimentos (e apoios), decidiram regressar a casa, às aldeias. Alguns enfrentam a desconfiança, outros nem chegam a isso, porque morrem pelo caminho, havendo a estimativa de que mais de 40 já faleceram, revela o periódico.
[...]
Sitaram Yechury, secretário-geral do Partido Comunista da Índia (Marxista), denunciou então – e tem continuado a fazê-lo, na sua conta de Twitter, a «total falta de preparação e planeamento», a «falta de apoios» e o facto de a quarentena não ter sido concebida a pensar nos pobres e nos trabalhadores migrantes. Se o governo queria impor o «isolamento social», em Anand Vihar ficou espelhado o «caos». (Abril)

Israel mantém 200 crianças palestinianas na cadeia

Cerca de 200 crianças palestinianas estão em cadeias israelitas, em «condições desumanas», sendo sujeitas a «interrogatórios duros» e a «tortura». Os dados foram revelados pela Comissão dos Assuntos dos Presos e ex-Presos Palestinianos na véspera do Dia da Criança Palestiniana, que se assinala a 5 de Abril.

O director do organismo de defesa dos presos referiu que as forças israelitas prenderam mais de 17 mil menores palestinianos desde 2000, havendo registo de detenções de crianças com idades inferiores a dez anos. (Abril)

CGTP-IN condena a nova escalada de ingerência e agressão dos EUA contra a Venezuela

[De CGTP-IN] Depois das acusações caluniosas contra Nicolás Maduro e outras figuras do Estado venezuelano, os EUA apresentaram nos últimos dias o auto-denominado «Plano de transição democrática para a Venezuela», logo secundado pela União Europeia.

Ao invés da solidariedade e da união de esforços para proteger a saúde e salvar a vida do maior número possível de venezuelanos, os EUA e a UE juntam factores de chantagem e verdadeira agressão ao bloqueio económico e financeiro que mantém contra este país, golpeando ainda mais fundo os direitos do seu povo. (cgtp.pt)

domingo, 5 de abril de 2020

«Gazteria krisian» [«La juventud en la crisis»]

[De Ane Ibarzabal] Testu honen izateko arrazoia zera da: krisiaren fase gordinago baten atarian gaudela soma daitekeela, COVID-19aren desenkusak kapitalismoak beharrezko zuen egokitzapen oldarkorraren prozesua arindu duela: goi-burgesiaren ofentsiba berri baterako prestatzeko unea da berriz. Kapitalismoari berezko zaizkion kontraesanak gordindu dira, ekonomia desorekan dago eta ekonomiaren atzerakada egongo dela aurreikus daiteke. (gedar.eus)

[CAS: La razón de ser de este texto es que se puede intuir que estamos en el umbral de una fase más cruda de crisis, la excusa de COVID-19 ha aligerado el proceso de adaptación violenta que el capitalismo necesitaba, es el momento de prepararse de nuevo para una nueva ofensiva de la alta burguesía. Se han brutalizado las contradicciones propias del capitalismo, se ha dado un desequilibrio económico y se puede prever un retroceso de la economía. Tenemos qué aprender.]

«A pandemia e o fim da era neoliberal»

[De Atilio Boron] Falta ainda saber quase tudo da actual crise. Instalou-se a ideia de que «nada poderá voltar a ser como dantes». Alguns pensadores avançam uma perspectiva talvez demasiado optimista, porque nenhuma pandemia pode constituir um factor de transformação radical da sociedade. Que o capitalismo pode sofrer um forte abalo, é previsível. O que virá depois não depende de nenhuma especulação filosófica, depende – como afirmou Lénine – da existência, ou não, «de forças sociais e políticas que o façam cair». (odiario.info)

As comunas também combatem a Covid-19 na Venezuela

Na Comuna Socialista El Panal 2021, em Caracas, «a resposta ao vírus foi imediata», com a produção de milhares de máscaras. O acesso à alimentação está a ser acautelado através do projecto «Pueblo a Pueblo».

Além da confecção de máscaras, na El Panal 2021 há várias outras iniciativas relacionadas com a quarentena decretada pelo governo de Nicolás Maduro. Por exemplo, grupos de professores estão a criar actividades escolares e de recreação para manter as crianças a estudar nesta fase – e levam as tarefas porta a porta.

As escolas da comuna têm um programa de alimentação para os jovens. No entanto, com a suspensão das aulas, os alimentos têm sido usados em refeições para toda a comunidade. Cerca de 200 famílias recebem marmitas diárias, distribuídas de casa em casa por membros da comuna. (Abril)

«A culpa é da China»

[De Oscar Valadares] a sensação cada vez mais geral de que a China e os seus sócios estão a enfrentar esta crise melhor do que a Europa e a América do Norte está a fazer saltar os alarmes do grande capital e dos seus ideólogos diante dum grande basculamento de poder de Ocidente para Oriente. Este basculamento não é um fenômeno inédito, nem aparece como consequência da pandemia. Mas não por isso resulta menos problemático para umas grandes burguesias que até agora se beneficiaram largamente de ocuparem o centro de um sistema-mundo criado à medida, e que vem a emergência da China e da Rússia, a resistência da América Latina aos ataques imperialistas ou os movimentos do mundo árabe e persa em direção a Pequim e Moscovo como um signo de mudança dos tempos. (nosdiario.gal)

sábado, 4 de abril de 2020

«Ejército Español en Iruñea. ¡Fuera de aquí!»

[De MpA / EUS: «Espainiar Armada Iruñean. Alde hemendik!»] Desde el comienzo del confinamiento obligatorio, tanto el nuestro como otros agentes políticos hemos denunciado que lo que en realidad nos han aplicado es un Estado de Excepción. Las operaciones llevadas a cabo en Iruñea y en los últimos días en distintos rincones de Euskal Herria, poco tienen que ver con la salud, y todo que ver con el control de lxs trabajadorxs y la difusión del miedo.
[…]
Los imperios, la oligarquía y la burguesía están intentando resituarse ante lo que viene, para aplacar por las armas cualquier intento de revuelta de los pueblos oprimidos o la explotada clase trabajadora. No reconocemos ninguna legitimidad a las fuerzas de ocupación para actuar en Euskal Herria, y menos aún contra la clase trabajadora. (amnistiAskatasuna)

Protesto sonoro na Alde Zaharra de Iruñea contra a presença do Exército espanholVer tb.: insurgente.org

Partidos comunistas da América do Sul solidarizam-se com a Venezuela

Partidos comunistas de Brasil, Argentina, Colômbia, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Chile, Peru e Venezuela uniram-se para repudiar «o novo plano de guerra» da administração de Trump contra o povo venezuelano.
Clica na imagem para aumentares o seu tamanho. / Irudia handitzeko klik egin bere gainean.

«Não, não há tréguas»

[De Albano Nunes] Ao contrário do que pretendem certas linhas da ideologia dominante, o combate ao surto de Covid-19 não se faz abdicando de direitos e liberdades fundamentais, nem põe entre parênteses a luta de classes.
[…]
Não, no combate ao surto de Covid-19 não estamos todos com as mesmas posições. A luta de classes pode assumir novas formas mas não desapareceu. A natureza exploradora, desumana e parasitária do capitalismo tornou-se ainda mais evidente e a luta em defesa dos que menos podem e menos têm não conhece tréguas. (avante.pt)

«On the death of Grup Yorum member Helin Bölek after 288 days of hunger strike»

[De KKE] Helin Bölek passed away yesterday after a long struggle. In a message on Twitter, the «Free Grup Yorum» solidarity committee wrote: «All Helin wanted to do was to sing her songs freely. AKP fascism is responsible for her death. The demands were very simple to meet.»

Bölek and İbrahim Gökçek, also a member of the band, were on hunger strike (death fasting) for 288 days demanding the termination of persecutions by Erdogan's regime. Last month, in a demonstration of authoritarianism, police forces raided their house in Istanbul, violently detained their comrades ans transported Gökçek and Bölek to hospital for enforced medical treatment. (idcommunism.com)

sexta-feira, 3 de abril de 2020

«Honor y gloria, Txetxu»

[De Fundación Pakito Arriaran e Coordinadora Simón Bolívar] Txetxu, como tantos otros, superó injusticias y dificultades y se integró en la sociedad venezolana como mejor sabía, luchando por un mundo mejor. Así como hicieron millones de venezolanos, nuestro hermano de la vida participó desde su llegada en la construcción de una sociedad más justa. Piedra a piedra, consejo comunal a consejo comunal, comuna a comuna, Txetxu trabajó codo a codo con sus vecinas y vecinos, participando así en la construcción del sueño del Comandante Chávez (pakitoarriaran.org)

«Jesus Ricardo Urteaga deportatu politikoaren heriotzaren aurrean» (amnistiAskatasuna)
Deportazioa zigor ezezagunetarikoa da. Kartzelan egon ez arren, deportatuak linbo legal batean bizi dira, izan ere eta pasatako urteak pasata ere, zigorra ez baita inoiz bukatzen. Deportatuek bizi modu berri bat eraiki behar izan dute etxetik milaka kilometrotara, guztiz ezberdinak ziren kulturetara moldatuz.

Rússia acusa Ocidente de «egoísmo político» face à pandemia de Covid-19

EUA, Reino Unido, UE, Ucrânia e Geórgia chumbaram o projecto de resolução que a Rússia apresentou nas Nações Unidas com vista ao levantamento de sanções unilaterais, no contexto da luta contra a pandemia.

No comunicado, a que agência TASS teve acesso, a missão diplomática russa explica que o projecto de resolução rejeitado na Assembleia Geral das Nações Unidas solicitava o «reconhecimento» da liderança da Organização Mundial da Saúde (OMS) no combate à pandemia, pedia uma mais ampla cooperação internacional na luta contra a propagação do coronavírus SARS CoV-2, que causa a Covid-19, bem como «a rejeição de guerras económicas e de sanções unilaterais impostas sem o mandato do Conselho de Segurança das Nações Unidas, de modo a garantir um acesso imediato a alimentação e medicamentos».

O texto da moção também pedia aos estados-membros que rejeitassem «a estigmatização de estados, povos e indivíduos no que respeita à pandemia» e destacava a «necessidade de veicular apenas informação de confiança e com base científica sobre ela». (Abril)

Líbano apresenta queixa na ONU pela violação israelita do seu espaço aéreo

As forças militares israelitas violam reiteradamente o espaço aéreo, marítimo e territorial do Líbano, realizando acções de reconhecimento e espionagem, numa clara infracção da resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU, que pôs fim à guerra entre Israel e o Líbano em 2006. Telavive também usa frequentemente o espaço aéreo libanês para perpetrar ataques contra a Síria, em especial contra alegadas posições iranianas em território sírio. (Abril)

US pushes conspiracy theory on China’s coronavirus death toll to deflect from Trump administration failures

[De Ajit Singh] Having zealously demonized China while it battled the worst of the coronavirus crisis, corporate US media is seizing on the effort to redirect American outrage onto a foreign bogeyman. Even as it alleges that the US coronavirus response is being «undermined» by Chinese and Russian «disinformation», the US press is in fact, promoting obscene conspiracy theories claiming that China’s coronavirus death toll is higher than the official count by an order of tens of thousands. (thegrayzone.com)

quinta-feira, 2 de abril de 2020

«Frente a la ofensiva burguesa, vivienda gratuita, universal y de calidad»

[De Gasteizko Etxebizitza Sindikatua] Sin embargo, la conciencia de clase no se adquiere a través del momento teórico, sino a través de un proceso dialéctico que conecta constantemente la experiencia de lucha con la necesidad de comprender y superar los límites de la misma. El proletariado, ahora mas que nunca, necesita de experiencia de lucha que lo guíe a conocer per se los límites de la organización. Ha de darse de bruces con el idealismo reformista, ha de errar, comprender lo fallido y sobre todo, ha de organizarse de forma independiente para acometer su gran empresa.
[…]
Desde el Sindicato de Vivienda de Gasteiz, seguiremos trabajando en este interminable proceso acumulativo de desarrollo de capacidades por y para la clase trabajadora. Queremos lo imposible para la burguesía – vivienda gratuita, universal y de calidad – y lo único posible para la organización comunista de la vida. ¡Nada es imposible, todo se organiza! / Ver: etxebizitzasindikatua [Euskaraz hemen]

«Mentira e desinformação: a passadeira vermelha para o fascismo que espreita»

[De André Solha] E se esta narrativa ganha fôlego, deve-o à tradicional sinofobia ocidental e a um anti-comunismo primário que é também useiro e vezeiro no Ocidente.

Já todos percebemos que vêm aí tempos difíceis. Que, depois de lutarmos contra a Covid-19, vamos ter de lutar contra a austeridade, contra a repressão. Alguns direitos que até agora nos pareciam impossíveis estão agora em vigor a título provisório, provando que afinal sempre foram possíveis, e quando tudo isto terminar não vamos querer abrir mão deles. E, para nos forçar a abdicar deles, cá temos o Estado burguês a muscular-se, para no-los tirar à força e a sangue se necessário.

Haja greve. Haja manifestação. Haja resistência. Porque, mesmo sendo ilegal, será sempre justa. (manifesto74)

Tropas israelitas realizam incursões na Cisjordânia, em pleno surto de Covid-19

Soldados israelitas lançaram gás lacrimogéneo e granadas atordoantes contra grupos de jovens, invadiram casas e efectuaram detenções na cidade de Ramallah, no que pareceu ser uma operação de «busca e captura», esta terça-feira, segundo revelaram fontes locais ao portal Palestine Chronicle.

Por outro lado, colonos israelitas do colonato ilegal de Ramot causaram grande preocupação entre a população palestiniana da aldeia de Beit Iksa, a noroeste de Jerusalém ocupada, ao cuspirem nos carros que entravam ou saíam da aldeia, esta quarta-feira, segundo noticia a WAFA, citada pela HispanTV. (Abril)

HRW supports US-backed far-right coup in Bolivia, whitewashes massacre of indigenous protesters

However, far from standing up for the oppressed, Human Rights Watch (HRW) has effectively endorsed the events. In its official communiqué, HRW refrained from using the word coup, insisting Morales «resigned.»

HRW Americas director José Miguel Vivanco claimed President Morales stepped down «after weeks of civil unrest and violent clashes,» and did not even mention opposition violence against his party or the role of the military in demanding, at gunpoint, that he resign. (thegrayzone.com)

quarta-feira, 1 de abril de 2020

Campaña política de GKS para parar la ofensiva de la burguesía y su estado de excepción

Ante la evidente apatía de eso que se puede llamar izquierda sin entrecomillar, de su dejar hacer al poder establecido todo lo que le de la gana en cuanto a las medidas que está tomando, éste, en relación a la pandemia de coronavirus (tanto sanitarias como económicas), afortunadamente todavía existen gente y grupos políticos que no aceptan lo que estamos sufriendo todos estos días: un estado de excepción en toda regla cuidadosamente diseñado para beneficio de la burguesía, no para que la clase trabajadora (siempre la más perjudicada en estos casos) salga beneficiada.

La organización vasca GKS (Gazte Koordinadora Sozialista, Coordinadora de la Juventud Socialista) ha puesto en marcha la campaña: «Burgesiaren ofentsiba gelditu, GKSren kanpaina politikoa salbuespen egoeraren aurrean» (Parar la ofensiva de la burguesía, la campaña política de GKS ante el estado de excepción).

Este es el vídeo (con subtítulos en castellano) que han difundido las compañeras y compañeros de GKS, una coordinadora de clase:Ver: insurgente.org / Ver tb.: «"Ezkutuko salbuespen egoeraren" aurkako salaketa kanpaina politikoa abiatu du GKSk» (gedar.eus)

Não cessa a agressão e a chantagem política dos EUA contra a Venezuela

«A Venezuela é um país livre, soberano, independente e democrático, que não aceita nem aceitará jamais ser tutelado por nenhum governo estrangeiro», afirmou o Ministério venezuelano dos Negócios Estrangeiros num comunicado em que repudia a proposta dos EUA.

Entretanto, o Ministério português dos Negócios Estrangeiros, liderado por Augusto Santos Silva, já se congratulou com a solução política avançada por Washington. A este propósito, o chefe da diplomacia venezuelana, Jorge Arreaza, escreveu no Twitter que «o digno povo português não merece um governo submisso, que se ajoelhe de maneira tão humilhante perante Donald Trump». (Abril)

Movimentos populares brasileiros unidos em defesa da saúde e do emprego

A Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo, abrangendo mais de 40 organizações sociais, lançaram juntas, esta terça-feira, a Plataforma Emergencial para Enfrentamento da Pandemia do Coronavírus e da Crise Brasileira, com mais de 60 propostas «para proteger a saúde, os rendimentos e o emprego».

A denúncia de que o governo de Jair Bolsonaro não assumiu «medidas eficazes» contra a propagação do novo coronavírus no Brasil e se tornou a «principal ameaça» para a segurança e o bem-estar da população brasileira atravessa o manifesto que estrutura a plataforma. (Abril)

Cassete Pirata EP#2 – «A Banca, o Sistema Financeiro e a Dívida Pública»

Segundo episódio do podcast do Manifesto74, no qual se aborda a questão da Banca, do Sistema Financeiro e da Dívida Pública. Com a participação de: Ricardo Noronha, Ricardo Paes Mamede e Miguel Tiago (Manifesto74). / Ver: Manifesto74

terça-feira, 31 de março de 2020

«"Pauper ante festum"-a alarma egoeraren aurrean»

[De Hodei Mendinueta / CAS: «El "pauper ante festum" ante el estado de alarma»] Artikulu honek helburu ugari ditu: alde batetik, «talka plan soziala» deitu dutenaren eduki ekonomikoa ahalik eta modu laburrenean azaltzea; bestalde, planak epe ertainean ondorio drastikorik eragin gabe gauzatzeko dituen egiturazko ezintasunak adieraztea; hirugarrenik, langile aristokraziaren proiektu politikoaren porrotaren arrazoiak aztertzea eta, azkenik, masa alderdi komunistaren eraikuntzan pauso atzeraezinak emateko beharra seinalatzea. (gedar.eus)

[El presente artículo persigue varios objetivos: En primer lugar, aclarar de la manera más sintética posible el contenido económico del plan de choque social; en segundo lugar, señalar sus limitaciones estructurales y la imposibilidad de llevarlo a cabo sin consecuencias drásticas a medio plazo; en tercer lugar, indagar en los motivos de la bancarrota del proyecto político de la aristocracia obrera, y por último, apuntar la necesidad de dar pasos irreversibles en la constitución del partido comunista de masas.]

Cerca de 50 países pedem a Cuba o antiviral que teve êxito na China

O Centro Nacional de Biopreparados de Cuba (Biocen) anunciou que está a aumentar a produção do antiviral Interferón Alfa 2B, medicamento que mostrou ser eficaz para tratar pessoas afectadas pela Covid-19.

O Interferón Alfa 2b Humano Recombinante – nome completo do medicamento – foi criado por investigadores do Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB) de Cuba, na segunda metade dos anos 80, e, após a sua introdução no sistema de saúde público da Ilha, mostrou ser eficaz na terapia de doenças virais como as hepatites B e C, e o HIV, entre outras.

O portal uruguaio ladiaria.com.uy refere que a escolha do Interferón pelas autoridades médicas da China para fazer frente ao novo coronavírus está relacionada com o facto de, de um modo geral, estes vírus provocarem a diminuição da produção natural de interferon (uma proteína) no organismo humano, sendo que o fármaco cubano é capaz de suprir essa deficiência, reforçando o sistema imunológico dos pacientes com Covid-19. (Abril)

Ocupantes turcos cortaram água no Nordeste da Síria três vezes em Março

As autoridades sírias anunciaram esta terça-feira o restabelecimento do fornecimento de água potável a cerca de um milhão de pessoas em Hasaka, interrompido no sábado pelas forças ocupantes turcas.

O governo de Damasco, que classifica este corte de água como uma «violação flagrante das leis internacionais» e um «crime contra a humanidade», sublinha que a vida da população civil foi posta em risco – mais ainda num contexto de propagação da pandemia de Covid-19. (Abril)

Deputy PM Chrystia Freeland cool to Manitoba chiefs' request for Cuban doctors

Deputy Prime Minister Chrystia Freeland appeared Monday to reject a request by a group of First Nations in Manitoba for Canada to allow Cuban doctors into their communities to bolster their health care services in the face of the COVID-19 pandemic.

Southern Chiefs Organization (SCO) Grand Chief Jerry Daniels sent a letter to Prime Minister Justin Trudeau Friday requesting the federal government open its doors to Cuban Health Brigades, which are currently in several countries, including Italy, responding to the COVID-19 epidemic. (cbc.ca)