quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Maravillas Lamberto, a «florzita de Larraga» foi morta pelos fascistas há 82 anos

A 15 de Agosto de 1936, teve lugar em Larraga (Nafarroa) um dos episódios mais arrepiantes da Guerra de 36 ou Guerra Civil espanhola, na sequência do levantamento fascista de 18 de Julho. Maravillas Lamberto Yoldi, de 14 anos, filha de um sindicalista, foi violada repetidamente pelos fascistas - também à frente do pai -, antes de ser morta a tiro. O seu corpo foi deixado aos cães.

Na madrugada de dia 15 de Agosto, guardas civis, acompanhados por um falangista e um requeté, foram buscar a casa Vicente Lamberto, agricultor e sindicalista da UGT. Uma das suas filhas, Maravillas Lamberto, não o quis deixar e insistiu em acompanhá-lo. Foram ambos levados para a Câmara Municipal.

Ali, o pai foi metido na cadeia, na parte inferior do edifício, e Maravillas foi levada para a secretaria, na parte de cima, onde os fascistas a violaram repetidamente. Ao nascer do dia, Maravillas e o pai foram levados para um bosque próximo, onde a jovem foi violada à frente do pai mesmo antes de o fuzilarem. Maravillas Lamberto, com 14 anos, foi morta pouco depois, tendo o seu corpo sido abandonado aos cães.

Nos últimos anos, Maravillas Lamberto Yoldi, conhecida como a «florzita de Larraga», tem recebido múltiplas homenagens, por parte de diversas entidades. A 26 de Outubro de 2008, a associação Ahaztuak 1936-1977 homenageou Maravillas e as demais 45 vítimas do fascismo em Larraga nos anos da guerra.

Hoje, no Gaztetxe que tem o nome de Maravillas, na Alde Zaharra de Iruñea [Pamplona], a jovem também foi homenageada, numa cerimónia que contou com a presença de uma das suas irmãs, Josefina Lamberto.

Entrevista a Josefina Lamberto, irmã de Maravillas Lamberto
Ver: El Salto

Dois presos políticos bascos foram libertados nas últimas horas

Os presos biscainhos Leire Etxebarria, hoje, e Joseba Enbeita, anteontem, saíram das cadeias andaluzas de Algeciras e Puerto III (Cádis), respectivamente.

Leire Etxebarria foi libertada depois de passar 12 anos e meio na prisão. Em 2000, após ter sido condenada por um tribunal espanhol a seis anos de cadeia, fugiu de Euskal Herria, tendo sido presa em França seis anos mais tarde. Foi novamente condenada a seis anos de cadeia, por pertença à ETA.

Em Junho de 2011, cumprida a pena, foi extraditada para o Estado espanhol, onde foi encarcerada. Passou os últimos meses na prisão de Algeciras.

O também biscainho Joseba Enbeita, Gorri, saiu no dia 13 da cadeia de Puerto III (Cádis), depois de ter passado mais de 23 anos na prisão. Foi preso em 1994, sendo acusado de integrar o Comando Bizkaia da ETA. / Ver: Berria e Berria

«A Venezuela que não será vista nas televisões»

[De Simon De Beer, militante do Partido do Trabalho da Bélgica (PTB)] Um belga faz uma viagem turística à Venezuela. Mas o estado de espírito de férias não o torna indiferente a uma realidade bem diferente da que os grandes media querem fazer passar. Abre os olhos e ouvidos para conhecer as pessoas num país que está a mudar, atravessando grandes dificuldades económicas e a constante ingerência e ameaça do imperialismo e dos seus cúmplices. Uma Venezuela tão livre que, num sector inteiramente privado como o do turismo, os guias turísticos têm carta-branca para mentir sobre o seu próprio país. (odiario.info)

Faleceu em Paris o marxista egípcio Samir Amin, aos 86 anos de idade

[De Diário Liberdade] Mundialmente reconhecido como um dos grandes teóricos marxistas do nosso tempo, Samir Amin morreu este domingo em Paris.

Nascido em 1931 no Egito, de pai egípcio e mae francesa, Samir Amin era doutor em Economia e tinha formaçom em Ciência Política, dedicando toda a sua vida adulta ao estudo do capitalismo. Tendo trabalhado no Cairo no Instituto de Administraçom Económica nos anos 50, morou em diferentes países até se converter em diretor do Fórum do Terceiro Mundo em Dacar, no ano 1980.

Nos anos 60, fijo parte do Partido Comunista Francês, distanciando-se para apoiar a corrente maoista aquando da disputa sino-soviética. Conta com importantes estudos sobre a Lei do valor, o eurocentrismo, as relaçons centro-periferia, assi como sobre categorias discutidas no seio do marxismo contemporáneo, como «crise estrutural», «capitalismo senil» ou «intercámbio desigual». Também defendeu a tese da entrada, nos anos 60, numha nova fase do capitalismo, que chamou «de monopólio generalizado», muito além do incipiente descrito por Lenine em 1916.

Nos últimos anos, estudou o fenómeno do desenvolvimento chinês, a crise do capitalismo como civilizaçom e o acirramento dos confrontos imperialistas, sem deixar de analisar a dependência como fenómeno característico das relaçons entre centro e periferia do capitalismo mundial, nomeadamente as periferias africana, asiática e latino-americana.

Foi também crítico do islamismo, enquanto força colaboracionista do imperialismo norte-americano na regiom do Médio Oriente, definindo-o como «arma da globalizaçom», conseqüência da crise mundial do capitalismo.

Samir Amin participou em duas ocasions na Semana Galega de Filosofia, nas ediçons de 1989 e 2011. (Diário Liberdade)

Ver tb.: «O imperialismo americano, a Europa e o Médio Oriente», de Samir Amin (resistir.info)

terça-feira, 14 de agosto de 2018

«Maravillas Lambertori omenaldia – Homenaje a Maravillas Lamberto»

[De Maravillas Gaztetxea] Datorren asteazkenean, hilak 15ean, Maravillas Lamberto erail zutenetik 82 urte beteko dira. Egun Frankismoak lurralde hau modu bortitzean suntsitu izanaren ikur bilakatu da Maravillas.

Hori dela eta, Maravillas gaztetxe bezala Larragako loretxo gazte honi merezi duen omenaldia eskaini nahi diogu. Horretaz gain, arratsaldean bere ahizpa txikia den Josefina izango dugu gurekin, haren istorioa konta diezagun. Erbestera alde egin behar izan zuen emakume indartsu baten istorioa, alegia.

Este 15 de Agosto se cumpliran 82 años del asesinato de Maravillas Lamberto. A dia de hoy Maravillas se ha convertido en simbolo para denunciar la brutalidad con la que el franquismo arrasó estas tierras.

Como Gaztetxe Maravillas queremos hacer el homenaje que se merece a la joven florecica de Larraga. Además, a la tarde contaremos con Josefina, su hermana pequeña, para que nos cuente su historia. Historia de una mujer fuerte que se vio forzada al exilio. (BorrokaGaraiaDa)

Ver tb: «Gaztetxe Maravillas convoca uma manifestação para 25 de Agosto» (ahotsa.info / gazteleraz)

Su Ta Gar – «Jo Ta Ke»

Faz hoje 30 anos que os Su Ta Gar (Eibar, Gipuzkoa) deram o seu primeiro concerto. Foi no Gaztetxe de Ondarroa (Bizkaia). Jo Ta Ke, irabazi arte!

Mais de 5 milhões de crianças regressam às aulas na Síria

«Este ano, esperamos que cinco milhões de estudantes se dirijam aos centros de ensino no novo ano escolar [em Setembro], incluindo 50 mil em Ghouta Oriental», disse ontem Hazwan al-Waz, ministro da Educação da Síria, citado pela TeleSur.

O ministro explicou que tal é possível graças às operações do Exército Árabe Sírio – em conjunto com os militares russos –, na medida em que libertaram do terrorismo extensas zonas do país, o que, por seu lado, permitiu às autoridades sírias reconstruir e reparar muitas salas de aula destruídas.
[…]
Por seu lado, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Faisal Miqdad, salientou «a necessidade de reactivar a economia e reconstruir o país para que todos possam voltar», indica a HispanTV.

Na mesma ocasião, afirmou que Damasco conseguiu resistir aos seus inimigos devido à coragem dos sírios e ao apoio da Rússia, tendo denunciado que «países árabes bem conhecidos forneceram ajuda a grupos armados no valor de 137 mil milhões de dólares com o objectivo de destruir a Síria».

Recorde-se que o governo sírio acusou, em diversas ocasiões, vários países ocidentais e regionais de apoiarem grupos terroristas que operam na Síria, como os EUA, o Reino Unido e a França, a Arábia Saudita, o Qatar, Israel e a Turquia, entre outros. (Abril)

Tropas estadounidenses, británicas y francesas mataron más civiles que Califato Islámico en Mosul

En los 9 meses que tardaron en liberar Mosul, las tropas estadounidenses y sus aliados británicos y franceses mataron más civiles que el Califato Islámico en tres años de ocupación, según un estudio de mortalidad publicado por la revista PLOS Medicine.
[…]
Pero un estudio de cerca de 1.200 hogares en la ciudad publicado en PLOS Medicine muestra que las tasas de mortalidad civil aumentaron casi 13 veces durante la batalla por la liberación de Mosul. (Movimiento Político de Resistencia)

Ver tb.: «Hezbollah louva vitória em Mossul e acusa EUA de criar Daesh» (Abril)
Estima-se que cerca de 900 mil pessoas tenham fugido de Mossul neste período [Outubro de 2016-Julho de 2017]. Muitos milhares ficaram encurraladas na cidade e morreram durante a batalha.

Nos seus bombardeamentos sobre a cidade iraquiana, a coligação liderada pelos Estados Unidos foi acusada de provocar centenas de vítimas entre a população civil e de cometer atrocidades, nomeadamente recorrendo a bombas de fósforo branco em áreas densamente povoadas. No início de Junho, confrontado com as acusações, um coronel norte-americano afirmou que estas munições eram usadas «de acordo com as leis da guerra».

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Jon Idigoras, excerto de entrevista (1993)

Fala Jon Idigoras Gerrikabeitia (Zornotza - Bizkaia -, 3/5/1936 - Bilbo, 3/6/2005), operário, dirigente sindical (LAB) e militante do Herri Batasuna. Para matar saudades.A entrevista, realizada por Jesús Quintero em 1993, pode ser vista e ouvida na íntegra em elperiodistacanalla.net.

A 92 anos do nascimento do Comandante, «Fidel por siempre»!

«Nos enseñó que no existen imposibles»
Su autoridad y su relación entrañable con el pueblo fueron determinantes para la heroica resistencia del país en los dramáticos años del periodo especial, por ejemplo, cuando el Producto Interno Bruto cayó un 34,8 % y se deterioró sensiblemente la alimentación de los cubanos, sufrimos apagones de 16 y hasta 20 horas diarias y se paralizó buena parte de la industria y el transporte público. A pesar de ello, se logró preservar la salud pública y la educación a toda nuestra población. (Granma)

«Assim é o Che»
A 9 de Outubro de 2017, assinalaram-se os 50 anos do assassinato de Che Guevara, na selva da Bolívia. Poucos dias depois de divulgada a execução, a 18 de Outubro de 1967 teve lugar em Havana, na Praça da Revolução, uma velada solene, na qual Fidel Castro discursou para a multidão, evocando e louvando a figura multifacetada do seu companheiro de luta, guerrilheiro, escritor, médico, estadista, diplomata, internacionalista. «Sejam como o Che», pediu Fidel à multidão. (Abril)

Autocarro escolar no Iémen foi atacado com bombas norte-americanas

Fragmentos de bombas MK-82, de fabrico norte-americano, são visíveis nas imagens que um jornalista divulgou do local onde um autocarro cheio de crianças foi atacado pelos sauditas, no Iémen.

Caças da coligação liderada pelos sauditas atingiram, no passado dia 9, um autocarro escolar na zona de Dahyan, na província iemenita de Sa'ada, provocando mais de 50 vítimas mortais – 40 das quais terão sido crianças, de acordo com as autoridades Hutis – e cerca de 80 feridos.

«Restos das bombas dos EUA que mataram as crianças iemenitas no mais recente massacre e crime de guerra saudita-norte-americano, de 9 de Agosto de 2018, em Sa'ada, Norte do Iémen», escreveu Nasser Arrabyee no Twitter [pic.twitter.com/z8bvadwncG – @narrabyee] a acompanhar as fotos dos fragmentos das bombas MK-82 que alegadamente foram retirados do local do bombardeamento contra o autocarro escolar. (Abril)

«As homenaxes a Moncho Reboiras salientan a vixencia da loita por unha Galiza soberana»

O domingo, pola mañá os actos decorreron no cemiterio de Imo onde descansan os restos de Reboiras. Até alí -por separado- acudiron Movemento Galego ao Socialismo, Agora Galiza e a UPG, o partido do que Moncho Reboiras facía parte.
Xa pola tarde, Maniños (Fene) primeiro e despois Ferrol foron os epicentros dos actos organizados pola Unión do Pobo Galego. Uns actos que tiveron o seu punto central na ofrenda floral no portal onde foi acribillado a tiros por por axentes da Brigada Político-Social e, posteriormente, no Cantón, onde decorreu o acto político no que intervirán Iván Ribas, portavoz do BNG en Ferrol, Susana Méndez, sindicalista e membro do Comité Central da UPG, e Néstor Rego, secretario xeral da UPG.
Destacouse como o compromiso de Moncho Reboiras co seu pobo plasmouse na aposta firme pola autoorganización, no traballo e confianza no seu país para se dotar de ferramentas propias – no político, no sindical, no social...- como a vía precisa para lograr unha Galiza soberana e socialista. / Ver: sermosgaliza.gal

domingo, 12 de agosto de 2018

Mobilizações a favor da amnistia: Portugalete, Bilbo, Donostia

Sob o lema «Gudariak direlako, amnistia osoa!» [Porque são gudaris, amnistia total], o Movimento pró-amnistia e contra a Repressão (MpA) anunciou recentemente a realização de uma manifestação a favor da amnistia em plena Semana Grande [Aste Nagusia] das festas de Bilbo. Entretanto, outras mobilizações têm vindo a ser anunciadas, como as que terão lugar em Portugalete (Bizkaia) e na capital guipuscoana.
Antes da mobilização marcada para dia 25 de Agosto em Bilbo (parte às 19h30 da Praça Zabalburu), realizar-se-á uma concentração, com o lema acima referido, frente à Câmara Municipal de Portugalete, na comarca da Margem Esquerda do Nerbioi. A iniciativa é do Movimento pró-amnistia e contra a Repressão de Ezkerraldea e terá lugar no próximo dia 15, às 13h00.

Outra mobilização já revelada e que é tradicional no calendário das manifestações pró-amnistia é a que terá lugar dia 9 de Setembro em Donostia, por ocasião das famosas regatas [estropadetan].
A mobilização, organizada pelo Movimento pró-Amnistia e contra a Repressão de Donostia, parte do Boulevard donostiarra às 13h00, sob o lema «Gudariak direlako, amnistia osoa!». / Mais info: @AmnistiaGarrasi e aseh

LAB critica Governo de Nafarroa por promover a precariedade

Numa nota, o sindicato denuncia a atitude do Executivo foral, que, em pleno mês de Agosto e sem que as «organizações dos trabalhadores fossem postas ao corrente da situação», deu início ao processo de contratação de trabalhadores para as empresas públicas navarras através de empresas de trabalho temporário (ETT).

Para o sindicato LAB, as empresas públicas navarras «deveriam ser um exemplo no que respeita às condições de trabalho e não transformar-se em mais um agente de precarização».

Para além disso, a organização sindical considera que este modelo de contratação conduz à violação de diversas normas no âmbito público, como sejam: o não cumprimento dos princípios de igualdade, mérito e capacidade na contratação de funcionários públicos (uma vez que a contratação é deixada a cargo das ETT); a não criação de emprego de qualidade; a alteração da confiança e da transparência entre funcionários e administração.

Neste sentido, o LAB exige que as empresas públicas navarras continuem a contratar funcionários directamente por via de concursos, tendo em conta o mérito e a capacidade, e que o novo modelo, que favorece a precariedade, não seja aplicado sob nenhuma circunstância.

Se isto não se verificar, o sindicato afirma que irá recorrer a todos os meios necessários para impedir qualquer alteração substancial nas condições laborais dos trabalhadores das empresas públicas. / Ver: LAB

«Confesiones en torno al plan de magnicidio: los aspectos más relevantes»

[De Misión Verdad] El último avance en las investigaciones comprueba que el diputado Juan Requesens hizo las gestiones para permitir el traslado de Juan Monasterios, alias «Bons», por el paso fronterizo colombo-venezolano con dirección a Cúcuta. En el video que Rodríguez difundió, Requesens confirma la participación de Julio Borges en el intento de magnicidio al confesar que hace varias semanas fue contactado por él para «pasar a una persona de Venezuela a Colombia, se trata de Juan Monasterios». (misionverdad.com)

70 mil contra presença militar dos EUA em Okinawa

Mais de 70 mil japoneses protestaram este sábado contra a presença militar e a relocalização de uma base norte-americana na ilha de Okinawa.

Os manifestantes, que se juntaram num parque da capital da prefeitura de Okinawa, Naha, ontem, contestam a presença militar norte-americana e a intenção de relocalizar a base aérea Futenma, junto à cidade de Ginowan (com mais de 90 mil habitantes) para a baía de Henoko, com o apoio activo do governo central nipónico. (Abril)

sábado, 11 de agosto de 2018

«Cronología de una lucha que no se rinde: Gaztetxe Maravillas»

[De Borroka Garaia] Septiembre 2017 Tras ser desalojados en noviembre del 2016 se abrió un periodo de reflexión y reactivación de la asamblea del gaztetxe para volver a la carga mas temprano que tarde. Al cabo de pocos meses, inician la campaña «Alde Zaharrak Gaztetxea behar du!», con la que se fue acumulando fuerza paulatinamente entre el vecindario y el Movimiento Juvenil y Popular para dar un nuevo salto: la toma y apertura del Palacio Marqués de Rozalejo, edificio vacío desde hacia unos 20 años, en pleno corazón de Alde Zaharra y con una posibilidades inmensas.

Agosto 2018 El gobierno navarro cuatripartito se presenta como acusación particular de cara a un intento inminente de desalojo del gaztetxe maravillas.

La asamblea del gaztetxe Maravillas llama a la defensa del proyecto popular.
«Ante todos estos hechos, nos preguntamos como puede ser que el Gobierno de Navarra, a través de su portavoz María Solana, tenga la jeta y desfachatez de tacharnos al Gaztetxe de no querer dialogar y además, de mantener una postura ofensiva mientras han sido ellos los que SIEMPRE han optado por la represión como vía para acabar con el Gaztetxe. Que sepan, que si esa va a ser su postura, nos defenderemos.» / Ver: BorrokaGaraiaDa

«Días de agosto... Blas Infante... Moncho Reboiras»

[De Andoni Baserrigorri] El llamado alzamiento nacional fue especialmente cruel en Andalucía. Fueron miles los jornaleros y jornaleras que fueron asesinados. Junto a ellos trabajadores de diferentes sectores, referentes de la cultura nacional andaluza (Como olvidar a Federico García Lorca, aún en una cuneta olvidada de Granada) y hasta población civil en desbandada que ante los crímenes ya conocidos del fascismo-falangismo fue ametrallada y asesinada por miles en una carretera de Málaga.
[...]
Moncho Reboiras es el otro mártir al que nos referíamos. Este sí comunista, antifascista, antifranquista, combativo…militante de UPG que en aquellos años era la referencia revolucionaria del Pueblo Trabajador Galego.
[...]
No siempre es la mejor época para luchar por el socialismo, pero siempre hay que hacerlo, dijo Lenin. Esa es la tarea. No se trata de nuestros egos ni peleas cainitas entre organizaciones. Ser comunista es algo mucho más grande. Se trata de nuestros pueblos y su futuro socialista. (lahaine.org)

«Triplica o número de idosos falidos nos EUA»

[De António Santos] Pensões em queda, preço dos seguros de saúde a aumentar, magras poupanças e reformas privadas sujeitas aos humores dos mercados. Segundo o Consumer Bankruptcy Project, a conjugação destes factores está a gerar uma «tempestade perfeita» nas camadas mais envelhecidas da classe trabalhadora estado-unidense. Desde 1991, triplicou o número de pessoas com mais de 65 anos que se declaram falidas e incapazes de fazer face a dívidas crescentes.
[...]
Para sobreviver, cada vez mais idosos estado-unidenses têm de trabalhar até ao último dia de vida. Segundo o Gabinete de Estatísticas do Trabalho da Casa Branca, os trabalhadores com mais de 75 anos representam uma fatia cada vez maior da população activa e correspondem já a 85 por cento do crescimento total da força de trabalho. (avante.pt)

Kortatu - «Don Vito y la revuelta en el frenopático»

Tema do álbum Kortatu (1985), o primeiro da banda de Irun (Gipuzkoa).

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

«La familia Atutxa (PNV): empresas y contratos públicos»

[De Ahoztar Zelaieta / El Salto] Los hijos de Juan Mari Atutxa, Asier e Iskander, han creado múltiples sociedades y obtenido millonarios contratos de la administración pública. Además, estas empresas han estado ligadas a casos de irregularidades ligadas al clientelismo en ayuntamientos vizcaínos

Entre los hijos de Juan Mari ATutxa, Asier e Iskander, han creado varias empresas y obtenido millonarios contratos de la administración pública. Entre las 16 empresas que manejan la familia Atutxa, cinco de ellas han recibido 200 contratos públicos con un monto total de 68 millones de euros entre los años 1998 y 2015 según una denuncia del PP vasco. (BorrokaGaraiaDa)

Trabalhadores das plantações de chá em greve contra salários de miséria

Mais de 400 mil trabalhadores de 370 plantações em Bengala Ocidental (Índia) fizeram uma greve de três dias, exigindo ao governo estadual e aos donos das plantações um aumento de 20% no salário mínimo diário, ou seja, 40 cêntimos.

Os mais de 400 mil trabalhadores das plantações da região de Darjeeling, localizadas nas encostas dos Himalaias e famosas pelo chá que exportam para todo o mundo, entraram em greve na terça-feira depois de, nesse dia, os donos das plantações não terem comparecido à reunião agendada com os sindicatos e representantes do governo estadual para discutir as reivindicações dos trabalhadores, segundo informa o Indian Express.

A Federação Sindical Mundial expressou o total apoio às centenas de milhares de trabalhadores em luta nas plantações de Darjeeling. (Abril)

«O círculo»

[De Jorge Cadima] Passam 73 anos de um dos maiores crimes da História: a obliteração nuclear das cidades japonesas de Hiroxima e Nagasáqui pelo imperialismo norte-americano. Perversamente, os mega-serial killers atómicos dos EUA, que há décadas usam armas químicas, biológicas, com urânio empobrecido e outras armas não convencionais contra quem não aceita submeter-se aos ditames imperialistas, acusam as suas vítimas de querer fazer o que eles próprios fazem. A realidade é virada de pés para o ar e a propaganda é cada vez mais absurda, sem ponta de ligação com a realidade. (avante.pt)

«Israel is arming neo-Nazis in Ukraine»

[De Electronic Intifada] Israeli arms are being sent to a heavily armed neo-Nazi militia in Ukraine, The Electronic Intifada has learned.

Azov Battalion online propaganda shows Israeli-licensed Tavor rifles in the fascist group’s hands, while Israeli human rights activists have protested arms sales to Ukraine on the basis that weapons might end up with anti-Semitic militias.

In a letter «about licenses for Ukraine» obtained by The Electronic Intifada, the Israeli defense ministry’s arms export agency says they are «careful to grant licenses» to arms exporters «in full coordination with the Ministry of Foreign Affairs and other government entities.»
[…]
Azov’s official status in the Ukrainian armed forces means it cannot be verified that «Israeli weapons and training» are not being used «by anti-Semitic or neo-Nazi soldiers,» Mack and 35 other human rights activists wrote.(electronicintifada.net)

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

ELA: «A ITP enche os bolsos explorando e subcontratando»

Os trabalhadores da UDINE, empresa localizada em Zamudio (Bizkaia), estão em greve por tempo indeterminado e, esta terça-feira, realizaram uma concentração em Bilbo para denunciar que estão há três meses sem receber.

A UDINE é uma empresa subcontratada pela MOS Marine, que, por sua vez, é subcontratada pela ITP, empresa que fabrica motores de aviões.

Iker Alustiza, responsável da federação da indústria do sindicato ELA na comarca biscainha de Eskumaldea, sublinhou que casos como os da UDINE mostram que grandes empresas como a ITP baseiam os seus enormes lucros na exploração e na subcontratação.

«Por trás dos lucros da ITP há uma cadeia de subcontratação que condena muitos trabalhadores à precariedade e à miséria. No caso da UDINE, os funcionários estão há três meses sem receber, e a resposta da ITP foi deixá-los na rua e contratar gente nova para fazer esse trabalho», disse.

Os trabalhadores da UDINE fizeram questão de deixar claro que vão continuar a lutar até que recebam aquilo que lhes devem e recuperem os seus postos de trabalho. / Ver: ELA

«Magnicidio televisado: la operación que no lograron»

[De Marco Teruggi] Resulta clave comprender la lógica del conflicto para anticiparse a lo que pueda suceder. ¿Cuántas acciones similares a esta logró desactivarse antes de que se accionaran? El chavismo se enfrenta a una estrategia que combina todas las formas posibles de ataques, las que en otros países del continente aparecen solo en una o dos de sus dimensiones. En Venezuela golpean por asaltos, de forma conjunta, separada, por etapas, por todos los ángulos. Los drones sobre el presidente fueron una más, una alerta con alta carga simbólica.

Venezuela es el blanco número uno de los Estados Unidos en el continente. Su aliado subordinado principal es Colombia. Desde allí seguirán las preparaciones de ataques en un escenario donde ninguna posibilidad puede ser descartada. Todos lo vimos en pantalla. (insurgente.org)

Caças sauditas atacam autocarro com crianças no Iémen

Dezenas de crianças perderam a vida depois de caças sauditas terem atacado, esta quinta-feira, o autocarro em que seguiam, na província de Sa'ada, no Noroeste do Iémen.

Mais de cem vítimas civis numa semana
Na quinta-feira passada, caças da coligação liderada pelos sauditas atacaram o Hospital al-Thawra e o porto de pesca na cidade de Hudaydah, provocando cerca de 60 vítimas mortais e mais de 130 feridos. Yusuf al-Hazari, do Ministério da Saúde iemenita, classificou o ataque como «massacre».

Esta quarta-feira, a cadeia al-Masirah registou a ocorrência de mais um raide aéreo saudita no distrito de Harf Sufyan, localizado na província de Amran (Noroeste do Iémen), do qual resultaram sete vítimas mortais civis, segundo refere a agência Fars. (Abril)

Senado argentino chumba lei da despenalização do aborto

Ao cabo de uma sessão de intensos debates que durou mais de 16 horas, o projecto de despenalização da IVG, aprovado em meados de Junho na Câmara dos Deputados, foi chumbado no Senado da Argentina com 38 votos contra, 31 a favor e duas abstenções.

A proposta aprovada na Câmara contemplava a despenalização da IVG até à 14.ª semana de gestação. Fora deste período, a mulher poderia abortar em três casos: violação, risco de vida ou saúde para a gestante e diagnóstico de inviabilidade de vida extra-uterina do feto.

O texto, que se baseou em grande medida no projecto defendido pela Campanha Nacional pelo Direito ao Aborto Legal, Seguro e Gratuito, previa ainda que o aborto pudesse ser realizado em qualquer hospital ou clínica e que o Estado cobrisse todos os custos relacionados com o procedimento.

Actualmente, a IVG é considerada crime na Argentina e, de acordo com a Lei do Aborto em vigor, de 1921, a mulher só pode interromper a gravidez em caso de violação ou de risco de vida para a mãe. A não aprovação do projecto de lei no Senado implica que o aborto continua a ser clandestino no país austral, podendo ser punido com quatro anos de prisão. (Abril)