quinta-feira, 19 de setembro de 2019

«Es inadmisible engañar a 50.000 personas, pactando a sus espaldas»

[Entrevista de Canarias Semanal a Iñaki Gil de San Vicente] Yo puedo entender la situación de estos compañeros desde el punto de vista personal, pero lo que corresponde hacer es un análisis político; y desde ese punto de vista hay que decir que el acuerdo alcanzado tiene unas implicaciones tremendas. No es una simple decisión «táctica», sino que supone la aceptación de una mentalidad inquisitorial que implica el acto de contrición. Reconocer el pecado, la culpa y asumir el castigo que impone el Poder, que en este caso, para todos menos para dos personas, son dos años de condena que les libran de ir a la cárcel.

Supone, en definitiva, la aceptación de la autoridad externa -ya esté en el cielo o ya esté en Madrid-. De las leyes del sistema. Esto tiene unas consecuencias políticas inmediatas y muy graves, porque si unos aceptan esta ley, los que no lo hagan, los que sigan siendo rebeldes y defendiendo sus derechos como hasta ahora, quedan vendidos. (BorrokaGaraiaDa)

Protesto do LAB junto ao Parlamento para denunciar situação de Imanol Salinas

Na passada terça-feira, vários sindicalistas do LAB acoorentaram-se ao Parlamento de Nafarroa, para protestar contra a situação de Imanol Salinas, que pode ir parar à cadeia na sequência de uma acção sindical contra a precariedade num estabelecimento de restauração em Iruñea.

«Sindicalistas de LAB se encadenan al Parlamento para denunciar la situación de Imanol Salinas» (ahotsa.info)Ver: lahaine.org

Congresso equatoriano rejeita despenalizar aborto em caso de violação

De acordo com o Código Orgânico Integral Penal (COIP) do país sul-americano, a mulher que realizar uma interrupção da gravidez, por qualquer motivo, será punida com pena de prisão entre seis meses e dois anos. Se falecer durante o procedimento, o responsável pela realização do mesmo será punido com uma pena de prisão até 16 anos.

No âmbito da actual legislação, o aborto só é permitido quando há risco para a vida ou a saúde da mãe ou quando a gravidez é fruto de uma violação de uma mulher com deficiência mental, informam a Prensa Latina e a Opera Mundi. (Abril)

«Quatro princípios para a formação política revolucionária»

[De Jones Manoel] O objetivo da coluna deste mês é expor de maneira mais ou menos sistemática o que considero ser os maiores erros no processo de formação política da militância da esquerda revolucionária. Sabemos bem que sem boa formação política é impossível uma prática política correta e eficiente (ainda que a boa formação política por si só não garanta isso). Mas o que é uma boa formação política? Buscando ser o mais didático possível, proponho destrinchar a questão sistematicamente em quatro princípios, que passo a abordar detidamente a seguir. (PCB)

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

«Recuperar la lucha ideológica, recuperar nuestro relato» (eus./cas.)

[De Ez garaituak / eus: «Borroka ideologikoa berreskuratu, gure kontakizuna berreskuratu»] Creemos que para poder avanzar en la lucha por la independencia y el socialismo debemos recuperar nuestro relato y el orgullo de lo que hemos sido y somos. En ese camino puede que volvamos a encontrarnos en el camino con much@s militantes que se han ido a casa en estos últimos años.

En paralelo a este empoderamiento ideológico, es necesario organizarse pueblo a pueblo, barrio a barrio y volver a salir a la calle. La calle es nuestro espacio de trabajo natural, donde tendremos que desarrollar la lucha ideológica y de masas que junto con una lucha institucional no asimilada nos hará avanzar en el camino hacia la libertad. (BorrokaGaraiaDa)

Turquia continua a «armar grupos terroristas» em Idlib

O representante da Síria junto das Nações Unidas em Genebra acusou a Turquia de fornecer armas a terroristas na província de Idlib e lembrou as responsabilidades de EUA e FDS pela situação no Nordeste do país.

Hussam Eddin Ala acusou ainda Washington e os «mercenários separatistas das FDS» de serem responsáveis pela situação humanitária «trágica» no campo de al-Hol, na província de Hasaka, que afecta mais de 70 mil pessoas deslocadas.

Relativamente ao campo de refugiados de Rukban, salientou que as tropas dos EUA e os grupos terroristas na região ocupada de al-Tanf, junto à fronteira com a Jordânia e o Iraque, são responsáveis pelo agravamento da crise humanitária, acrescentando, ainda assim, que o Estado sírio conseguiu fazer regressar às suas casas mais de 30 mil residentes no campo. (Abril)

Irão adverte EUA que responderá a qualquer ataque

O Ministério iraniano dos Negócios Estrangeiros entregou, na segunda-feira, uma nota oficial de protesto aos Estados Unidos da América, através da Embaixada da Suíça em Teerão – que ali representa os interesses norte-americanos – na qual reitera a rejeição da acusação de envolvimento nos ataques perpetrados sábado passado contra instalações petrolíferas da Arábia Saudita, noticiou esta quarta-feira a agência iraniana IRNA.

Mohammad Javad Zarif, acusou os EUA de estarem a jogar a um jogo de «passa-culpas», no que respeita aos ataques iemenitas com drones, e de estarem «envergonhados» pelo facto de as armas que venderam a Riade terem falhado. (Abril)

«A desinformação dos media dominantes acerca da vida internacional: mentiras, manipulações, silêncios»

[De Investig'action] Os grandes media ocidentais ocultam o que pode constituir suas culpas ou seus vexames, por causa dos equilíbrios de poder com os regimes de que não gostam: a forma como apresentam a Coreia do Norte desde há mais de meio século torna-se a caricatura mais básica. O mesmo acontece com o chavismo na Venezuela, com o Vietname e com Cuba!

A desinformação é a regra: um simplismo doentio domina a luta que opõe um «campo» a outro, num nevoeiro mantido por uma conversa incessante sobre «valores» e «ideias»! A adesão à ideologia dos gestores capitalistas, associada a uma «cultura descuidada, atrevida, faladora e narcisística», como escreve A. Accardo, caracteriza certos espécimes das escolas de jornalismo, produtoras mais de habilidade do que de saber. Esse não é o caso de todo os jornalistas, mas, na precariedade, quase todos concordam em sofrer a trela mantida pelos «patrões»! (resistir.info)

terça-feira, 17 de setembro de 2019

«Ante el acuerdo firmado en la Audiencia Nacional española»

[De MpA / eus: «Espainiako Audientzia Nazionalean sinatutako akordioaren aurrean»] El mencionado acuerdo, como decíamos al principio, acarrea consecuencias políticas graves para toda organización o militante que tenga intención de trabajar en torno a lxs represaliadxs políticxs.
[...]
Con el acuerdo de hoy han aceptado que se castigue la defensa de los derechos de lxs represaliadxs políticxs, la defensa jurídica, la asistencia médica, el derecho de lxs familiares a organizarse y, en general, cualquier gesto de solidaridad. A esto deberíamos sumarle que no ha sido un simple acuerdo jurídico, sino que es un acuerdo con contenido político. / Ver: amnistiAskatasuna 1 e 2

Mais de 140 presos palestinianos em greve de fome nas cadeias israelitas

Cerca de 120 presos juntaram-se aos 23 que, na semana passada, iniciaram uma greve de fome pela remoção de inibidores de sinal nas cadeias, que provocam dores de cabeça severas e podem gerar cancro.

Qabha denunciou o facto de o Serviço Prisional Israelita ter mandado para a solitária dirigentes mais antigos do movimento dos presos, como forma de pressionar os prisioneiros a pôr fim à greve de fome. Alertou, ainda, que a relutância dos israelitas em responder às «justas reivindicações» dos presos palestinianos irá «transformar as prisões em campos de batalha».

Entre as principais exigências dos prisioneiros contam-se a remoção dos inibidores de sinal (jammers) colocados nas cadeias, que provocam dores de cabeças severas e geram doenças cancerígenas; a autorização do uso de telefones públicos cinco dias por semana; a autorização das visitas familiares; e o fim das medidas repressivas das autoridades israelitas, indicou o Clube dos Prisioneiros Palestinianos. (Abril)

Expulsão das populações e «ilegalidades» marcam exploração da Belo Sun no Pará

Na tentativa de se instalar na Volta Grande do Xingu (região amazónica), em Maio de 2012, a empresa de exploração mineira Belo Sun comprou terras em Vila da Ressaca, uma localidade do município de Senador José Porfírio, tendo realizado transacções e acordos que estão a ser questionados pela Justiça.

Numa extensa peça ontem publicada no portal do Brasil de Fato, sob o título «Instalação da Belo Sun, no Pará, é marcada por ações ilegais e expulsão de moradores», sublinha-se que, desde então, a actuação da multinacional no local tem tido impactos «na vida dos povos da floresta». «A Belo Sun instalou-se na Vila Ressaca, construiu [um] escritório, ampliou as vias de acesso e fixou placas declarando [a] sua propriedade». (Abril)

«El ‘Stay Behind’, la guerrilla europea de la OTAN»

[De Rafael Poch] La historia del Stay Behind, una estructura clandestina dentro de la OTAN, ha sido reconocida hasta por el gobierno alemán, que dice haber disuelto la suya, compuesta por un centenar de hombres, al concluir la guerra fría en 1991. En los años sesenta, setenta y ochenta aquella red fue utilizada políticamente, surtiéndose de elementos de la extrema derecha europea pilotados por los servicios secretos americanos con la colaboración de sus homólogos europeos. En el marco de la llamada «estrategia de la tensión», sus propósitos eran diversos: crear o infiltrar grupos armados de extrema izquierda diseñados para desacreditar movimientos sociales, realización de atentados para desestabilizar gobiernos y propiciar reacciones, presiones preventivas, ante cambios considerados amenazantes… (EH-Donbass Elkartasun Komitea)

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

«Traparen euskal parodia | La euskal parodia del trap» (eus./cas.)

[De Aitor Bizkarra] Soziolinguistika Klusterrak egindako ikerketen emaitzek diotenez, hizkuntza eta herritarren errentaren arteko lotura eginda, klase ertaina euskarari lotuen dagoen gizataldea dela ondoriozta liteke. Ohartu ez bagara ere klase ertainen hizkuntza bat bihurtu da gurea, hezitzaileena, kazetariena eta orotariko sama zuriko langileena, eta hori, proletarizazio garaian, hizkuntza gutxitu baten eramaile nagusia den klase ertaina gutxitzen den garaian, alegia, bada… kontuak hortik atera.

Uste dut, auzi erreala ez dela proletalgoaren kultura espontaneoa euskarari txertatu edo euskarara ekarri ala ez, alderantziz baino, nola txertatu euskara proletalgoaren kultura espontaneoan: nola bilakatu euskara proletalgoaren hizkuntza espontaneo. Hori gertatu ezik, desiragarria ala arbuiagarria izan, euskal trapik nekez sortuko da parodiatik at. EHU euskararekin ze arropa markak ematen duen ondoen aztertzen ari den bitartean: kale Gucci. (BorrokaGaraiaDa)

Esta terça são julgado «os 5 de Usera» que tentaram impedir um despejo

Amanhã, 17 de Setembro, vão a julgamento Jorge, Dani, Álex, Pablo e Jesús, «Os 5 de Usera» (Madrid), por tentarem parar o processo de despejo de uma família com um bebé de 20 dias, em Junho de 2014. O Ministério Público pede um ano e meio de prisão para cada um. Foi convocada uma concentração para os apoiar.

El martes juzgan a Dani, Jorge, Álex, Pablo y Jesús por intentar impedir el desahucio de una familia con un bebé de 20 días en Usera en el año 2014. La Fiscalía solicita un año y medio de prisión a cada uno.

«Os factos» (Asamblea Carabanchel)Um dos incriminados, Jorge, aborda as imagens do despejo e explica como se passaram as coisas – face à versão policial.

EUA enviaram 150 camiões com armas para milícias das FDS na Síria

A agência SANA informou este domingo que os EUA enviaram 150 camiões carregados com equipamento militar e logístico para o Nordeste da Síria, para apoiar as milícias predominantemente curdas das FDS.

A diplomacia síria afirma que os grupos que integram as chamadas Forças Democráticas Sírias (FDS) «coincidem nas suas acções com os esquemas dos Estados Unidos e dos ocupantes israelitas, que os apoiam do ponto de vista militar, logístico, financeiro e politico».

As FDS estão agora na fase sequestrar, torturar, matar e deslocar os civis, bem como de recrutar ilegitimamente os jovens com o objectivo de impor um novo status quo que sirva esses esquemas e prolongue a crise no país, lê-se ainda nas missivas. (Abril)

«Comadres»

[De Jorge Cadima] Não passa dia sem que haja ferozes episódios de rivalidade entre potências imperialistas, ou mesmo no seu seio, como se vê nos EUA e na UE. A luta feroz no seio do capitalismo mundial é o reflexo de profundos problemas objectivos.
[…]
A zanga de comadres assinala que a crise do capitalismo está prestes a explodir. Talvez usem Trump como bode expiatório. [...] O grande capital prepara-se para tentar de novo fazer os povos pagar a crise do seu sistema. A última palavra cabe aos povos. (avante.pt)

domingo, 15 de setembro de 2019

Sindicalista do LAB em risco de ir parar à cadeia

Imanol Salinas, sindicalista do LAB, corre o risco de ir parar à prisão, depois de ter participado em acções de protesto para denunciar aquilo que se passava na empresa La Sangiovesa, em 2018. Salinas pode apanhar 21 meses de prisão.

Na passada sexta-feira, o LAB fez questão de expressar o apoio a Imanol Salinas e denunciar a repressão de que este está a ser alvo e que tem aumentado, nos últimos meses, contra outros sindicalistas.

Frente ao Palácio da Justiça, em Iruñea, representantes sindicais pediram aos trabalhadores que se mobilizem. O secretário-geral do LAB em Nafarroa, Igor Arroyo, disse: «Não nos vão parar, não vão condicionar a luta sindical do LAB. Onde houver uma injustiça, o LAB estará lá para lhe fazer frente».

«La Sangiovesa: Las trabajadoras que ganaron a una multinacional» (LAB)Ver: lahaine.org

Mais de 50 mil em Bilbo contra o processo 11/13

Mais de 50 mil pessoas manifestaram-se este sábado, na capital biscainha, em solidariedade com os 47 bascos incriminados no processo 11/13, por defenderem os direitos dos presos políticos bascos. Amanhã, segunda-feira, começam a ser julgados no tribunal de excepção espanhol, a chamada Audiência Nacional.

Conferência sobre o «conflito irlandês» em Laudio

A Sare Antifaxista continua a promover a organização de confências sobre o «conflito irlandês». Desta vez, o encontro terá lugar na Orbeko Etxea, que este ano cumpre 18 anos de existência, e Laudio (Araba). É no dia 18 de Setembro, às 19h00.

Para qualquer questão, escrever para o endereço huelgahambre1981bloquesh@gmail.com.

Sobre os livros editados pela Sare Antifaxista na área do «conflito irlandês», ver «Cuéntales todo» e «¡Recuerda la huelga de hambre! ¡Destruye los bloques H!».

Mais info: Norte de Irlanda

«Se hace pública la conexión de Guaidó con paramilitares colombianos»

[De Marco Teruggi] Las fotos no dejan lugar a dudas: Guaidó se abraza con cuatro dirigentes de Los Rastrojos. No da explicación al respecto. Aún así su discurso, así como el de varios dirigentes de oposición, fue el de continuar acusando al gobierno de Maduro de encubrir a grupos guerrilleros, narcotraficantes y paramilitares. Esa acusación será llevada por Duque a la Asamblea General de Naciones Unidas.

La noticia se produce en un momento de alta tensión entre el gobierno venezolano y el de Colombia Nicolás Maduro ha declarado la alerta naranja, desplegado a la Fuerza Armada Nacional Bolivariana, y denunciado de que desde el gobierno de Duque se prepara una acción de falsa bandera para aumentar la escalada que podría abrir a un escenario de guerra declarada. (lahaine.org)

sábado, 14 de setembro de 2019

Lubaki Langile Elkartasun Sarea sortu dute Bergaran, klase batasuna oinarri

Krisi testuinguruak sortutako «desoreka eta segurtasun ezaren aurrean, elkar babesteko» tresna izatea du helburu Lubakik. «Saretzearen beharra» nabarmendu dute arazo horiei guztiei aurre egiteko: «Sakabanatuta dauden indar horiek guztiak modu eraginkorrean antolatzea ezinbestekoa iruditzen zaigu».

Hala, hasiera batean Bergara mailan antolatutako sarea izango bada ere, eskualdeko borrokak batzeko asmoa agertu dute, «klase batasuna oinarri». Izan ere, Lubakiko kideek azaldu dutenez, hamaika dira langileek jasaten dituzten erasoak, baina guztiek ere «sistema kapitalista daukate erroan». / Ver: gedar.eus

Etsaiak – «Iraultza»

Tema do álbum Etsaien etsaiak (1992). A banda é de Lekeitio (Bizkaia). [Letra / tradução]

«Crise, sociedade do espetáculo, guerra»

[De Domenico Losurdo (1941–2018) / Prefácio do último livro do autor, A esquerda ausente. Crise, sociedade do espectáculo, guerra] Como é atualmente programada e preparada a guerra? Procura-se através da imprensa, rádio, televisão, internet e redes sociais, manipular completamente ou inventar uma imagem que possa demonstrar a crueldade, ferocidade, falta de humanidade do inimigo a derrubar ou matar. Essa imagem é difundida, obsessivamente repetida, com ela se bombardeiam, por assim dizer, todos os recantos do planeta. Todos aqueles que não se alinham incondicionalmente com o Ocidente na guerra que está prestes a desencadear-se são acusados de surdos às razões da ética e de serem cúmplices do Mal. É o terrorismo da indignação, um ultraje que afirma ser moral, mas é realmente maquiavélico no mau sentido da palavra. É assim que a sociedade espetáculo se torna uma mortífera técnica de guerra. (PCB)

Luís Seoane contra Franco ou as «13 estampas da traizón» exibidas em Compostela

O Pazo de Fonseca acolhe até 30 de Outubro a exposição sobre as 13 estampas da traizón, primeiro álbum de desenhos do antifascista galego Luís Seoane, publicado em plena guerra civil.

As 13 estampas da traizón «são desenho militante, arte de agitação e propaganda, comunicação esteticamente relevante em prol da II República em plena Guerra Civil», afirma-se no portal sermosgaliza.gal a propósito da inauguração, no passado dia 11, da exposição agora patente no salão do Artesoado do Pazo de Fonseca, em Compostela.

«Esta exposição ajuda a visibilizar e recuperar a nossa silenciada memória histórica, neste caso referente à Guerra Civil de 1936», explica a associação cultural O Galo, citada pelo sermosgaliza.gal. (Abril)

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Macrosumario 11/13, juicio a la solidaridad

En esta macrocausa 47 personas van a ser juzgadas por realizar distintas labores de apoyo a los presxs políticxs vascxs. Son abogadxs de los presxs, familiares, terapeutas, miembros de distintas organizaciones por los derechos de estas personas… Les piden 601 años de cárcel en total.

Áudio, dossiers, entrevistas, videoclips e mais info em lahaine.org

Congresso chileno responsabiliza Carabineiros e governo por morte de jovem mapuche

Com 65 votos a favor e 61 contra, a Câmara dos Deputados aprovou a investigação levada a cabo por uma comissão especial do organismo, cujas conclusões estabelecem que os Carabineiros (Polícia militarizada) são os responsáveis directos pelo assassinato do jovem Mapuche Camilo Catrillanca.

As responsabilidades políticas pelo facto são atribuídas ao ministro do Interior, Andrés Chadwick, aos subsecretários do Interior e da Segurança Pública, e ao governo de Sebastián Piñera, refere a TeleSur.

A votação na Câmara traz de novo para a ribalta o caso de Camilo Catrillanca, indígena mapuche de 24 anos, assassinado no dia 14 de Novembro de 2018, na região da Araucânia, por agentes do Grupo de Operações Policiais Especiais (GOPE) dos Carabineiros, que afirmaram que a morte ocorrera durante uma troca de disparos. (Abril)

«Uberexploração – A exploração "invisível" de trabalhadores»

[De Vasco Almeida] Estamos, portanto, perante trabalho ilegal. Os trabalhadores, geralmente jovens, concentram-se em praças, ou à porta dos centros comerciais, e os sítios onde existem com maior afluência são Lisboa, Porto, Setúbal, Santarém e Algarve. Jovens que, procurando sobreviver, trabalham ilegalmente para empresas que lucram milhões com seu trabalho. Autênticas praças de jorna criadas nas grandes cidades, onde os trabalhadores esperam pela próxima tarefa a executar no mínimo de tempo possível, estando sempre à «sorte» de haver ou não haver outra tarefa, podendo ou não ganhar dinheiro por não terem sequer um salário base e trabalharem à peça. Todos os dias é uma incógnita se há ou não dinheiro para sobreviver. Ainda assim é pedido a cada trabalhador, como requisito para trabalhar nestas empresas, boa aparência e um sorriso para os clientes! (O Militante)

Las fotos que demuestran la conexión paramilitar de Juan Guaidó e Iván Duque

En redes sociales se habla de la conexión paramilitar de Juan Guaidó y el presidente Iván Duque con Los Rastrojos, grupo irregular colombiano relacionado a decenas de actividades delictivas en la frontera con Venezuela.

Se trata de una fotos en donde posan miembros de Los Rastrojos con el autoproclamado Guaidó. El de Voluntad Popular se abraza con Jhon Jairo Durán Contreras, alias El Menor, y Albeiro Lobo Quintero, alias El Brother. Las imágenes fueron publicadas por Wilfredo Cañizares, miembro de la ONG de derechos humanos Fundación Progresar. / Ver: misionverdad.com