terça-feira, 31 de julho de 2012

Madrid vai alegar invasão de competências em Estrasburgo

O Governo espanhol confirmou ontem que vai apresentar em Setembro um recurso contra a sentença do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem que rejeitava a «doutrina Parot».
O mais surpreendente parece a argumentação escolhida: segundo se soube, Madrid vai alegar que Estrasburgo «invadiu as suas competências jurídicas». Entretanto, ficou-se a conhecer o auto sobre a libertação recente de Fernando Díez Torre, que desliga este caso da resolução europeia. / R.S. / VER: Gara

Dia 11 de Agosto, manifestação pelos presos em Donostia
A mobilização, que foi apresentada na capital guipuscoana no passado dia 27, vai realizar-se no primeiro dia da Aste Nagusia [Semana Grande] donostiarra, a 11 de Agosto, e terá como lema «Giza eskubide guztiak, euskal presoak Euskal Herrira!». Parte do bairro de Sagues (junto à praia de Zurriola) às 17h30.

Os promotores exigem uma mudança da política penitenciária e o respeito pelos direitos humanos dos presos. Entre as suas exigências estão:
- trazer todos os presos para Euskal Herria
- libertar os presos com doenças graves
- não aplicar a «pena perpétua»
- libertar os presos que cumpriram 3/4 da pena ou a pena na íntegra
- deixar de aplicar sistematicamente o isolamento e 1.º grau
- criar uma situação que possibilite o envolvimento dos presos num processo de resolução, para que todos os que fizeram parte do conflito sejam parte da solução / VER: herrira.org

Pela libertação de Josu Uribetxeberria, manifestação este sábado em Arrasate
Convocada pelo movimento Herrira, a mobilização, de carácter nacional, terá lugar em Arrasate (Gipuzkoa), às 17h30.
Recorde-se que Josu Uribetxeberria tem cancro no rim desde 2005, que se agravou recentemente com o aparecimento de dois nódulos, num pulmão e na cabeça, e de metásteses.
Na manifestação, vai exigir-se a sua libertação e as dos restantes presos políticos bascos que com doenças graves e incuráveis.

Também no Gorbeia: liberdade para os presos doentes!
Hoje de manhã, cerca de cem pessoas participaram numa concentração no monte Gorbeia (entre Araba e a Bizkaia) para reclamar a libertação de Txus Martin, de Josu Uribetxeberria e de todos os outros presos com doenças graves. (SOS_TxusMartin)

Leitura:
«Al ministerio de interior español», de Borroka Garaia (BorrokaGaraiaDa)
Todos los días puntualmente entrás en este blog. Desconozco si eres siempre el mismo o sois varios, ni que puesto ocupas dentro del organigrama del ministerio de interior al que estás adscrito. Lo mas probable es que seas un simple secretario, un correveidile, ya que dudo mucho que lo hagas por hobby ni que los que estén por encima tuyo se dignen a trastear en blogs. No creo que te interesen ni te gusten especialmente los debates políticos y análisis que esta página web pueda ofrecer (seguramente los detestas). Para tí somos el enemigo y ciertamente para nosotros no lo sois menos.

Solidariedade com os presos e os refugiados nas festas de Algorta
No sábado passado, dia 28, realizou-se uma concentração a favor dos presos e dos refugiados políticos bascos no âmbito do Gazte Eguna [Dia da Juventude] das festas de San Inazio, em Algorta (Bizkaia). Estiveram presentes cerca de 250 pessoas, com o ambiente a ser animado pela Julai Alai orkresta. (Algorta Herrira / Mais fotos)

Hoje, o programa das festas incluía uma corrida de ciclismo e, durante a prova, voltou a haver nova concentração solidária com os presos e os refugiados, para reclamar os direitos que lhes assistem. (Algorta Herrira / Fotos)

Borroka Garaia: «El nuevo IRA»

Como se desarrollarán los acontecimientos y que alcance real tendrá esta decisión unitaria de diversas facciones del republicanismo irlandés está por ver y crea cierta incertidumbre. En cualquier caso desde Euskal Herria no corresponde juzgar la legitimidad de las diferentes estrategias y posturas del republicanismo irlandés, sino desear lo mejor para el conjunto del movimiento republicano en su lucha siempre justa por la unidad de Irlanda frente a la injerencia y ocupación británica. (BorrokaGaraiaDa)

«El PP pretende alterar el censo electoral vasco con una colonización a distancia», de Ezker Abertzalea (ezkerabertzalea.info)
No es una propuesta de carácter exclusivamente electoral, va más allá, porque es la demostración maá palpable de que el Estado español pretende negar a los vascos el derecho a decidir libre y democráticamente nuestro futuro con todo tipo de artimañas legales y medidas represivas y coercitivas.

«Deporte de masas y nacionalismo español», de Estricalla (SareAntifaxista)
Los deportes de masas tienen un fuerte valor simbólico y de identificación desde el primer tercio del pasado siglo, y esto no escapa a la atención de los políticos y el poder.

«Hipócritas y medallas», de Koldo CAMPOS SAGASETA (insurgente.org)
Quienes en el Estado español se empeñan en ver en la figura del emigrante la causa y razón de todas las calamidades, bien harían en reflexionar, caso de que todavía dispongan de cerebro, sobre las variables de algunos porcentajes relacionados con los emigrantes, porque mientras en el Estado español apenas sobrepasan el 5%, se triplica el porcentaje de extranjeros que se enfundan la camiseta española para ganar medallas olímpicas y aún es todavía mayor el porcentaje de extranjeros que se enfundan el uniforme español para ganar medallas militares.

Baiona antifaxista beti! Baiona antifascista sempre!


Bestak bai, antifaxismoa ere bai!
Festas sim, antifascismo também!

Uma marcha contra o TGV uniu Urruña e Hernani

A marcha «Lurra maite dugulako» [porque amamos a terra] começou no dia 27 em Urruña (Lapurdi) e decorreu durante três dias, tendo passado por várias localidades e diversos espaços afectados pelo projecto do TGV, antes de terminar em Hernani (Gipuzkoa).

Em Pausu, os cerca de 50 participantes atravessaram o rio Bidasoa, e, depois disso, realizou-se um acto de homenagem aos tartalaris, que incluiu bertsos, txalaparta e txistu. / Ver: boltxe.info

Crónica e muitas fotos: «Urruña eta Hernani lotu ditu AHTren aurkako mendi martxak»

Ocupação da propriedade «La turquilla» pelo Sindicato Andaluz de Trabajadores


Vídeo da ocupação da propriedade «La turquilla», levada a cabo por militantes do Sindicato Andaluz de Trabajadores (SAT) no passado dia 24 de Julho. Intervenções de Diego Cañamero, porta-voz nacional do sindicato. / Fonte: pakitoarriaran.org / Ver também: SAT e SAT

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Cinco detidos hoje de manhã por causa dos incidentes do Riau-riau

Agentes da Polícia Nacional espanhola e da Polícia Municipal de Iruñea prenderam mais cinco pessoas por causa dos incidentes do Riau-riau, no primeiro dia dos Sanfermines.

O primeiro dos detidos é A.S.A, nascido em 1984 e preso Polícia Municipal de Iruñea, foi acusado da alegada prática de dos crimes desordem pública e ofensas corporais. O outro detido pela Polícia Municipal é J.I.B, nascido em 1980.

R.I.S, nascido em 1980, foi detido pela Polícia Nacional espanhola, sendo acusado da alegada prática do crime de desordem pública. A Polícia Nacional espanhola prendeu ainda M.A.S.P, nascido em 1979 e R.C.R, nascido em 1981, ambos por desordem pública; o último deles é também imputado por ofensas corporais.

Com as detenções de hoje, são já nove as pessoas imputadas por causa dos incidentes no Riau-riau. À tarde, os detidos foram presentes a um juiz, e seguiram em liberdade.

Entretanto, a esquerda abertzale convocou uma mobilização de protesto contra as detenções para amanhã às 20h00, na Praça do Município, em Iruñea.

Na foto, momento da detenção de um jovem na Mercaderes. Seria depois entregue pela Polícia Municipal à Polícia Nacional espanhola. Fonte: ateakireki.com e ateakireki.com

Informatu, salatu, zabaldu... Klak egin!
Informa, denuncia, divulga... Clica!

Hau arma bat da erabil ezazu!
Isto é uma arma para ser usada!

Anima zaitez!! Egurre
Fonte: SareAntifaxista

Projecto «120 HORAS: La tortura contra Euskal Herria», de Ricard Salom


A tortura existe porque se esconde e silencia. Através de um conjunto de entrevistas, vamos explicar os mecanismos que possibilitam a prática da tortura contra o povo basco. Este documentário pretende mostrar a existência desta realidade, como um primeiro passo para a sua erradicação (Ver: SareAntifaxista)

O actor catalão Ricard Salom está a realizar um documentário que aborda a tortura sofrida, ao longo de vários anos, por presos políticos de Euskal Herria. Como enfrenta dificuldades económicas para concluir o trabalho, deu-se início a uma campanha para financiar o projecto. (Ver: BilboBranka)

[120 horas é o tempo de detenção em regime de incomunicação.]

Ver descrição do projecto aqui. Colabora!

Solidariedade com os presos e os refugiados nas praias de Euskal Herria

No fim-de-semana passado, houve múltiplas concentrações em praias e localidades bascas para reclamar o repatriamento dos presos e dos refugiados políticos bascos.
Na foto, imagem da iniciativa organizada em Deba (Gipuzkoa). (herrira.org)

Herrira Eguna em Zarautz
Também em Zarautz (Gipuzkoa), no âmbito do Herrira Eguna, que se realizou no sábado, dezenas de pessoas foram para a praia em solidariedade com os presos e o refugiados bascos, reclamando o seu repatriamento e pedindo o fim da pena perpétua.
(Ver vídeo na notícia do Berria e ZarauzkoHitza)

Herrira Eguna nas festas de Baiona
Ontem, a solidariedade para com os presos e os refugiados políticos bascos nas festas de Baiona foi mais intensa, já que era Dia do Herrira.
Mais fotos em Baiona Askatu e herrira.org

Ongi etorri a Gorka Mayo em Bidaurreta
No sábado à tarde, dezenas de pessoas juntaram-se no frontão de Bidaurreta (Nafarroa) para darem as boas-vindas a Gorka Mayo. A Guarda Civil colocou controlos nas duas entradas da localidade, tanto no início como no final do acto. (ateakireki.com / Mais fotos) / Ver também declarações de Pernando Barrena.

Regresso de Iker Moreno a Burlata

27 de Julho de 2012, Burlata (Nafarroa). Depois de ter estado 18 meses na prisão, Iker Moreno regressou a casa. Ongi etorri! (ateakireki.com)

Vídeo: Regresso de Joxe Aldasoro a Etxarri (ateakireki.com)
Dia 26 de Julho de 2012, Etxarri Aranatz (Nafarroa). Depois de ter passado quase dois anos na prisão, Joxe Aldasoro regressa a casa. Ongi etorri!

Vídeo: Regresso de Xafan e Pitu a Euskal Herria (ateakireki.com)
Depois de terem passado 18 meses na prisão, Patxi Arratibel, Xafan, e Miguel Angel Llamas, Pitu, fazem a viagem entre o presídio de Valdemoro (Madrid) e Euskal Herria.

Tolerância zero à impunidade do franquismo

«Tolerancia cero a la impunidad del franquismo»
Os abaixo-assinados são um grupo de organizações que se agruparam na «Plataforma Vasca para la Querella contra los Crímenes del Franquismo». As nossas organizações trabalham há anos na área da recuperação da Memória Histórica daquilo que representou o franquismo, e pela Verdade, Justiça e Reparação dos crimes que perpetrou em Euskal Herria. Pedra angular disto foi e é a denúncia da impunidade de todos os seus responsáveis; impunidade consagrada tanto pela «Lei da Amnistia» de 1977, verdadeira lei-remate, como pela «não limpeza» dos aparelhos de Estado durante a chamada Transição.

Plataforma Vasca para la Querella contra los Crímenes del Franquismo
- Altafaylla Kultur Taldea
- CNT Euskal Herria
- Durango 1936 Kultur Elkartea
- Euskal Memoria Fundazioa
- Eusko Lurra Fundazioa
- Egiari Zor Fundazioa
- Garraxika Taldea
- Gernika Batzordea
- Goldatu Elkartea
- Intxorta 1937 Kultur Elkartea
- Lau Haizetara Gogoan Elkartea
- Martxoak 3 Elkartea
- Oroituz
- Sare Antifaxista (Euskal Herriko Antifaxista Taldea)
Fonte: lahaine.org

Festas de Gasteiz: gazte karpa 2012

Abuztuaren 3tik 9ra
De 3 a 9 de Agosto

Espaço do movimento juvenil de Gasteiz. «Entxosnatu!»
Fonte: SareAntifaxista e topatu.info

domingo, 29 de julho de 2012

A Etxerat afirma que condenaram Uribetxeberria «à morte»

A associação de familiares e amigos dos presos políticos bascos recordou que o natural de Arrasate viu ser-lhe recusada há cinco anos a liberdade condicional por doença, e que esta semana ficaram a saber que o cancro de pulmão que tem desde 2005 se agravou.

Numa conferência de imprensa que teve lugar na Câmara Municipal de Arrasate (Gipuzkoa), os porta-vozes da Etxerat Mattin Troitiño e Izaskun Abaigar deram a conhecer a gravidade da situação do preso político Josu Uribetxeberria, internado há nove dias.

Recordaram que Uribetxeberria tem um cancro no rim desde 2005, que se agravou nos anos subsequentes com o aparecimento de dois novos nódulos, um no pulmão e outro na cabeça.
Para a Etxerat, a recusa em 2007 da liberdade condicional por doença grave e incurável a este recluso, contemplada pela legislação, representou «uma condenação à morte».

A Etxerat afirmou que «as medidas de excepção às quais são submetidas os seus familiares presos, a violação contínua e sistemática dos seus direitos, visam unicamente o seu sofrimento e o dos familiares».

«Não vamos eximir ninguém das suas responsabilidades: nem os que traçaram a política penitenciária, nem os que a executam, nem os seus cúmplices. Não queremos nem podemos fazê-lo porque, além de Josu, há outros 13 presos com doenças graves ou incuráveis que continuam encarcerados, quando deviam estar em liberdade», salientaram, ao mesmo tempo que exigiram a sua «imediata libertação».

Nesse sentido, anunciaram uma ronda de contactos com todos os partidos políticos e com o Ararteko e o Defensor do Povo de Nafarroa, e pediram «determinação e responsabilidade» à sociedade basca em geral, porque «nunca houve justificação e já não há desculpas, não pode voltar a repetir-se e queremos os nossos familiares doentes em casa já». / Fonte: naiz.info / Ver também: goiena.net e etxerat.info

Manifestação no sábado em Arrasate pela liberdade de Uribetxeberria
Numa conferência de imprensa hoje de manhã em Donostia, o movimento Herrira pediu ao Governo espanhol que liberte os presos políticos com doenças graves.
O representante do Herrira Iñaki Olasolo recordou a situação de Josu Uribetxeberria, tendo convocado uma manifestação nacional para o próximo sábado, em Arrasate (Gipuzkoa), para exigir a sua libertação, bem como a dos restantes presos políticos bascos que se encontram doentes.
A mobilização, que partirá da praça de Arrasate às 17h30, tem como lema «Josu askatu, hamalauak herrira!». O autarca da localidade, Iñaki Azkarragaurizar, também participou na conferência de imprensa, para assim apoiar a iniciativa. / Fonte: naiz.info / Mais info: herrira.org

A Câmara Municipal de Tafalla vai debater uma moção do Herrira sobre a liberdade de Ines del Rio

O Município de Tafalla (Nafarroa) vai debater na terça-feira em sessão de câmara uma moção em que se solicita ao Governo espanhol que acate a sentença de 10 de Julho de 2012 do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (TEDH) e liberte a tafallesa Inés Del Río Prada o mais brevemente possível.

Inés del Río, presa desde 1987 e agora na prisão de Curtis (A Coruña), cumpriu a pena que foi condenada em Julho de 2008. No entanto, no dia 19 de Maio de 2008, a AN espanhola pediu às autoridades penitenciárias que revissem os seus cálculos na aplicação da «doutrina Parot», vindo a decretar que a sua data de saída passaria a ser 27 de Junho de 2017.

Inés Del Río apresentou recursos junto da Audiência Nacional e do Tribunal Constitucional espanhóis, sendo ambos indeferidos. Depois do chumbo do Tribunal Constitucional, Inés recorreu contra a sentença 197/2006, que lhe prolongava o tempo de permanência na prisão, para o TEDH. A 10 de Julho último, o TEDH deferiu por unanimidade o recurso apresentado, condenando o Estado espanhol a indemnizá-la no valor de 30 000 euros por danos morais e em mais 1500 por despesas.

Também instou as autoridades espanholas a pô-la em liberdade «no prazo de tempo mais breve possível», defendendo que é «irregular» mantê-la na prisão desde o dia 3 de Julho de 2008, e que tal viola o Art. 5.º do Convenção dos Direitos Humanos. / Fonte: ateakireki.com 

Solidariedade com os presos e os refugiados políticos e acção antifascista nas festas de Baiona
Mais fotos em Baiona Askatu e SareAntifaxista

Recepção a Urtza Alkorta no regresso a Ondarru

A ex-presa chegou no sábado de madrugada (duas da manhã) à localidade costeira biscainha, onde foi recebida por uma verdadeira multidão. Ongi etorri! Fotos: Turrune

Borroka Garaia: «Socialismo revolucionario en la encrucijada»

Sin embargo, soy de la opinión que aun así, en Euskal Herria se siguen dando todos los condimentos necesarios para no solo renovar esa energía popular que nunca ha abandonado nuestro pueblo sino que además existen las condiciones para un cambio radical. (BorrokaGaraiaDa)

«¿Qué salida a la crisis?», de Iñaki Gil de SAN VICENTE (lahaine.org)
el siguiente paso es el de aclarar que las crisis no son fortuitas y accidentales, casuales, o provocadas por los “errores” de la administración y/o por el egoísmo y la psicología humanas. Las crisis son recurrentes e inevitables porque siempre laten y bullen en las entrañas del capitalismo debido a sus contradicciones inherentes.

«Recuerdos selectivos y olvidos interesados», de Patxi ZAMORA (boltxe.info)
Los recuerdos selectivos y los olvidos interesados forman parte de la memoria, tanto de la individual como de la colectiva. De alguna manera, todos ellos traicionan el subconsciente y evidencian la filosofía vital de cada cual. Y así pretendo argumentarlo a través de tres ejemplos acerca de quienes, de momento, manejan los hilos de la historia y la manipulan a su antojo. Tres ejemplos inconexos aunque coincidentes en el tiempo, que pretenden desbrozar las verdaderas intenciones de quienes llevan tantos años maltratando el concepto de democracia:

O País Basco não está à venda!


Depois de ter andado nas estradas a denunciar a atitude dos promotores imobiliários em Ipar Euskal Herria [País Basco Norte], no dia 21 deste mês o colectivo basco contra a especulação levou a cabo uma acção na praia de Biarritz, com o objectivo de chamar a atenção para um número assustador: 40% das casas daquela localidade de Lapurdi são segundas habitações.
A próxima iniciativa da dinâmica «EH ez da salgai» terá lugar em Sara (Lapurdi) no dia 4 de Agosto. Intitulada «Journée porte ouverte des maisons vides! Etxe hutsen ate idekitzea!», terá início às 16h00 e pretende chamar a atenção para a questão das casas vazias.

Uma traineira de bascos e quebequenses vai subir o rio São Lourenço até Montreal: são os «Indianoak 2013»

O Centro Basco Euskaldunak e a associação Ibaialde, de Angelu (Lapurdi), têm pela frente um ano de trabalho para organizar a expedição Indianoak 2013. Trata-se de um projecto bastante ambicioso e complicado do ponto de vista logístico, já que implica construir uma traineira em Euskal Herria e levá-la até Trois-Pistoles, de onde subirá o rio São Lourenço com destino a Montreal. No entanto, os membros da Ibaialde já têm experiência neste tipo de aventura: em 2003 realizaram uma expedição parecida. Daquela vez partiram de Trois-Pistoles com destino a Sept Illes, e, no final, doaram a traineira ao Parc de l’Aventure Basque en Amérique.
Agora, a embarcação será para o Centro Basco Euskaldunak, que a utilizará para a promoção do remo no Quebec. A viagem será uma aventura, mas também um animado intercâmbio cultural. Os remadores bascos vão partilhar as etapas com voluntários locais, a quem vão ensinar a remar e com quem vão partilhar experiências. Para além disso, a traineira será seguida por um grupo de cozinheiros e músicos bascos, e, em cada uma das paragens, serão organizados cursos de cozinha basca, concertos com músicos do Quebec, entre outras iniciativas culturais.

O CB Euskaldunak, promotor
O Centro Basco Euskaldunak tem a seu cargo a organização no Quebec, e já está a estabelecer contactos, a procurar alojamentos e a divulgar o projecto. «Quando festejámos o 15.º aniversário do Euskaldunak, trouxemos o grupo Kalakan, e um dos seus membros, Thierry Biscary, falou-nos do projecto», explica à Euskalkultura.com a presidente do Euskaldunak, Adelaide Daraspe. «Depois, quando fui a Euskal Herria, Thierry levou-me a conhecer a associação Ibaialde, e nessa mesma tarde explicaram-me todo o projecto em Angelu».
O Euskaldunak envolveu-se desde o início: «Dissemos logo que sim, porque um projecto como este acerta em cheio nos nossos objectivos e interesses. A verdade é que no Quebec a cultura basca é sobretudo conhecida através dos baleeiros. Um projecto deste tipo é excelente para dar a conhecer Euskal Herria, tanto nas grandes cidades como nas terras pequenas», diz Daraspe.

Uma traineira viva
[...] «A ideia é que os bascos daqui, e também os quebequenses, aprendam a utilizar a traineira. A Euskal Etxea já contactou com um clube de remo de Montreal, para que nos deixe guardar a embarcação nas suas instalações», diz Daraspe. «É muito importante, tanto para a Ibaialde como para o Euskaldunak Quebec que a traineira continue viva depois da expedição».
A aventura terminará com uma grande festa de fraternidade, que terá lugar no porto de Montreal.
Toda a informação sobre o Indianoak 2013, aqui. / Fonte: boltxe.info

sexta-feira, 27 de julho de 2012

O LAB afirma que as assembleias abriram as portas à «liquidação» das caixas

O LAB criticou a conversão de BBK, Vital e Kutxa em fundações privadas, opinando que essa decisão, «tomada à pressa e a correr pelos delegados, não era mais uma decisão, sem importância».

«Decidiram privar as pequenas e médias empresas bascas, independentes, profissionais, trabalhadoras e trabalhadores e necessidades sociais de um instrumento fundamental para sair da crise», refere num comunicado.

O sindicato abertzale pensa que as assembleias de ontem são «ilegítimas», na medida em que a que a realidade política, institucional e social «não está presente».

Em seu entender, «decisões desta envergadura precisam de consenso político, sindical e social, algo que nem sequer se procurou». Neste sentido, pergunta «como pode considerar-se democrático que o Hamaika Bat tenha mais votos na assembleia que cargos eleitos?».

O LAB afirma que o PNV e o PP estão a agir na BBK, Vital e Kutxa como «um lobby de defesa dos interesses da banca espanhola ou multinacional», e, quanto ao PSE, diz que «para lá de frases e circunlóquios eleitorais, está de acordo com a operação».

O LAB «estranha sobremaneira» o voto favorável das CCOO. «É para isto que as CCOO querem a unidade sindical que apregoam da boca para fora? Para apoiar o lobby PP-PNV? Ou para fazer na Kutxabank o papelão que os seus conselheiros desempenharam e desempenham na Caja Madrid, Bankia, etc.?», perguntaram.

A central afirma que vai continuar a «lutar para evitar que os nossos aforros acabem nas mãos de especuladores e accionistas, para criar um sistema financeiro público basco, defender a obra social e os postos de trabalho e evitar a perda de emprego derivada da venda a preço de saldo das caixas-Kutxabank». / Fonte: naiz.info

Comunicado: «LAB rechaza rotundamente los acuerdos adoptados en las asambleas de BBK, Kutxa y Vital tanto en la forma como en los contenidos», de LAB Sindikatua (labsindikatua.org)

Ver também: «202 100 desempregados no País Basco Sul, e a aumentar» (SareAntifaxista)

Depois da sua libertação, Pitu coloca a câmara da Ateak Ireki ao ombro: «Tenho uma enorme vontade de continuar a trabalhar»

No dia 18 de Janeiro de 2011, a Polícia Nacional espanhola prendeu Miguel Angel Llamas, Pitu, Edurne Sanzo, Oihana Odria e Koldo Garcia, que foram acusados de promover e gerir a página informativa apurtu.org. O primeiro foi encarcerado e os outros três foram postos em liberdade, mas com acusações pendentes. Poucos dias depois, o juiz Grande-Marlaska decretou o encerramento da página.

Foi mais um ataque à liberdade de expressão, premeditado e deliberado, que teve por fito fechar um órgão de comunicação incómodo e mandar para a prisão a pessoa que o geria.

Inúmeros profissionais da comunicação social denunciaram aquela operação policial, e, poucos dias volvidos, nasceu a Ateak Ireki, com o propósito de preencher o espaço vazio deixado pelo meio de comunicação encerrado.

Com a libertação de Pitu, recuperamos uma pessoa que fez muito no âmbito da comunicação do movimento popular, e que seguramente irá continuar a dar o seu contributo. Poucos minutos depois de sair da prisão, colocou a câmara da Ateak Ireki ao ombro - uma verdadeira declaração de intenções.

Disse que saía com uma enorme vontade de trabalhar. «Venho com as baterias muito carregadas. Há muito trabalho pela frente. Não podemos parar, não podemos. É preciso continuar até os conseguirmos ter todos cá fora». / Fonte: ateakireki.com / Vídeo: Xafan e Pitu, cá fora (ateakireki.com)

Ver também: «Pittu, o editor da apurtu.org, em liberdade, após dois anos de prisão» (boltxe.info)

Fotos e vídeos da recepção a vários presos recentemente libertados, à saída das prisões, nos seus bairros ou nas suas terras (herrira.org, ateakireki.com, eindaigunbidi)

Entretanto, Urtza Alkorta, ondarrutarra recentemente julgada na AN espanhola, foi hoje libertada, depois de o seu advogado de defesa ter apresentado um recurso. (Ver: EinDaigunBidi e Turrune) Ongi etorri!

Ontem, foi grande a alegria em Ondarru na recepção a Zunbeltz e a Igor
Zoixonak Igor eta Zunbeltz! Zoixonak zeuen ingurukuai be bai!
Ainda assim, o Turrune não deixa de lembrar...
Poz-pozik gaz, baine amorratute be bai, barrun geatu dizenakatxik. Burrukan jarraitxu biharra dakau!!

Amaia Izko fala sobre a «doutrina Parrot» e a sentença do Tribunal de Estrasburgo


A advogada basca Amaia Izko interveio numa reunião dos comités locais do Herrira, que decorreu na segunda-feira passada em Altsasu (Sakana, Nafarroa), para explicar o que é a sentença 197/2006 (conhecida «doutrina Parot») e dar informações sobre a resolução recentemente tomada pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem a este respeito.
[Em euskara até aos 4:42 min. / Em castelhano até aos 11:22 min. / Em euskara até aos 15:00 min.] / Fonte: ateakireki.com

Em Donostia, 70 cadeiras vazias em lugar dos presos condenados a pena perpétua
Hoje, os presos políticos que foram condenados a pena perpétua foram representados por 70 cadeiras vazias colocadas em frente ao Palácio da Justiça de Donostia. Tratou-se de uma acção do movimento Herrira contra a chamada «doutrina Parot».
Destes 70 presos, 67 encontram-se em prisões do Estado espanhol e os outros três em prisões francesas.

O acto surge na sequência da sentença decretada pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem a 10 de Julho último contra a «doutrina Parot» e, a este respeito, os porta-vozes do movimento Amaia Esnal e Manu Ugartemendia pediram aos tribunais espanhóis que não olhem «para o lado».

Da mesma forma, fizeram um apelo aos organismos públicos, partidos políticos e agentes sociais para que pressionem o Governo espanhol, por forma a fazer frente à sua «atitude de bloqueio».

Expressaram ainda a sua solidariedade a Josu Uribetxeberria, preso que se encontra gravemente doente, e exigiram a sua libertação imediata. Hoje ao fim da tarde, 800 pessoas exigiram o mesmo numa manifestação que se realizou na sua terra natal, Arrasate (Gipuzkoa). / Fonte: naiz.info

Pernando Barrena: «Quieren ganar fraudulentamente lo que políticamente tienen perdido»

El portavoz de la izquierda abertzale Pernando Barrena reflexiona en torno al proyecto de modificación de la Ley Electoral impulsado por el Partido Popular. Para el dirigente independentista «quieren ganar fraudulentamente lo que políticamente tienen perdido». (Info7 Irratia)

«La otra cara de la cita olímpica y de la tan socorrida "seguridad"», de Txente REKONDO (Gara)
Los Juegos Olímpicos arrancan hoy en Londres en medio de un gran despliegue militar y policial. En ninguna cita deportiva anterior ha habido tanta movilización de tropas como en esta. El autor analiza lo que se esconde detrás de este evento deportivo de alcance mundial. El llamado «espíritu olímpico» se ha convertido en una mera operación de marketing para ocultar el fabuloso negocio que suponen este tipo de eventos para las grandes corporaciones e, incluso, para ciertos deportistas que verán engordar su propio bolsillo.

«El "sadismo" de Gallardón», de Ainara LERTXUNDI (Gara)
Son muchas las voces que desde la sensatez y el respeto a una vida digna han lanzado su voz contra los planes de Gallardón, el otrora considerado «moderado» del PP, de eliminar el supuesto de malformación del feto de la ley del aborto.

«Diversos grupos armados republicanos se unen bajo un nuevo "Consejo Militar del IRA"», de El norte de Irlanda (boltxe.info)
En un comunicado enviado a The Guardian, la nueva organización afirmó que se había formado una «estructura unificada, bajo una sola dirección». Se dijo que la organización sería «subordinada a la constitución del Ejército Republicano Irlandés». Esta es la primera vez desde el Acuerdo de Viernes Santo de 1998 que la mayoría de las fuerzas del republicanismo armado se han unido.

Kortatu - «Etxerat»


Tema de Azken guda dantza (1988). Hitzak / Letra.

Encontrámo-lo em «Etxean nahi ditugu... ta kitto».

quinta-feira, 26 de julho de 2012

O LAB mobilizou-se contra os cortes no sector público e em defesa da soberania política e económica

Nas concentrações que hoje se realizaram nas capitais e nas sedes das comarca de Hego Euskal Herria [País Basco Sul], o sindicato LAB realçou o facto de as últimas medidas tomadas pelo Governo do PP constituírem não só um ataque directo aos trabalhadores dos serviços públicos, mas uma agressão a todo sector público e a toda a sociedade.

O Sindicato fez ainda saber que vai continuar a defender com firmeza o sector público basco, bem como a soberania política e económica. Para fazer frente a «esta grave agressão», o LAB fez um apelo à mobilização permanente. «No dia 26 de Setembro, há a Greve Geral», convocada em conjunto com outras forças sindicais bascas e colectivos sociais, mas, até lá, serão convocadas outras mobilizações. / Fonte: LAB Sindikatua e BilboBranka / Fotos: Mobilizações em defesa do sector público e da soberania (LAB)

Ler: «Basta! Não às agressões aos trabalhadores do sector público!» (LAB Sindikatua)

Três militantes independentistas vão ser libertados nas próximas horas

Depois de ontem terem sido libertados sob fiança oito militantes independentistas, detidos em Setembro de 2010, espera-se que nas próximas horas sejam libertados Patxi Arratibel (Etxarri), Iker Moreno (Burlata) e Miguel Angel Llamas, Pitu (Noain).

Arratibel, Moreno e Pitu foram detidos com mais sete pessoas no âmbito de operações levadas a cabo em Janeiro de 2011 pela Guarda Civil e pela Polícia espanhola em Hego Euskal Herria - contra o Ekin e a página apurtu.org, respectivamente.
A operação contra o Ekin, em que participou um grande número de agentes fortemente armados, centrou-se sobretudo em Iruñerria [Comarca de Pamplona] e foi decretada pelo juiz Fernando Grande-Marlaska. Os detidos afirmaram ter sido vítimas de torturas durante o período em que estiveram incomunicáveis. Gorka Mayo, detido no âmbito desta operação policial, ficou em liberdade na terça-feira passada.

Também no dia 18 de Janeiro de 2011 - uma semana depois de a ETA ter declarado o cessar-fogo «permanente, geral e verificável» - a Polícia espanhola deteve quatro pessoas ligadas ao órgão de comunicação apurtu.org, cujo encerramento foi decretado. Dos quatro detidos, só Miguel Angel Llamas, Pitu, se encontrava ainda na prisão. / Fonte: ateakireki.com / Ver também: Berria / Notícia actualizada: Gara

Porque fecharam a apurtu.org?

Fonte: ateakireki.com

A Etxerat afirma que o estado de saúde de Iosu Uribetxebarria é grave
Numa conferência de imprensa que hoje decorreu em Donostia, a Etxerat chamou a atenção para a gravidade do estado de saúde do preso político arrasateara Iosu Uribetxeberria. O seu médico, Endika Intxausti, disse que o preso foi levado há uma semana para o hospital de León (Espanha) e que ainda não recebeu um diagnóstico médico. Tem dois nódulos num pulmão e outro na cabeça. Os familiares conseguiram vê-lo duas vezes, mas apenas por meia hora.

Uribetxeberria tem cancro no rim desde 2005. Foi operado, tendo-lhe sido retirado o rim esquerdo. Em solidariedade com o preso e para denunciar a situação em que se encontra, foi convocada uma manifestação para amanhã em Arrasate (Gipuzkoa). / Fonte: Berria / Ver também: naiz.info

Ondarru! A AN espanhola absolveu cinco pessoas e condenou quatro
A Audiência Nacional espanhola absolveu e decretou a libertação imediata de Zunbeltz Bedialuneta e Igor Martin. Foram julgados este mês e, tal como eles, Jon Iñaki Esnaola, Xeber Uribe e Olatz Lema também foram absolvidos.
Já o mesmo não se passou com Ibon Iparragirre, Asier Badiola, Urtza Alkorta eta Javier Zubizarreta. Iparragirre e Badiola foram condenados a dez anos de prisão, acusados «integração em grupo terrorista» e de dois crimes de «danos terroristas». Alkorta foi condenada a cinco anos de prisão, acusada de «colaboração», e Zubizarreta foi condenado a três anos, acusado de «crime contra a saúde pública». Foram, ainda assim, absolvidos de várias outras acusações. Já passaram dois anos e meio na prisão.
Durante o julgamento, os arguidos afirmaram ter sido brutalmente torturados. Na sentença afirma-se que deviam ter sido aplicadas as medidas solicitadas pela defesa enquanto os detidos se encontravam incomunicáveis, «por forma a facilitar o controlo do período de incomunicação». / Oihana ELDUAIEN / Fonte: BERRIA / Fotos: Ongi etorri a Zunbeltz e Igor (EinDaigunBidi)

Adenda: a defesa de Urtza Alkorta, condenada a cinco anos e com metade da pena cumprida, divulgou hoje que interpôs um recurso com vista à sua libertação preventiva, esperando-se que possa estar cá fora já neste sábado ou, o mais tardar, no domingo (EinDaigunBidi)

Ver também: «Blusas e neskas homenageiam os familiares dos presos políticos em Gasteiz», de Ion SALGADO (Gara)

Projecto «120 HORAS: La tortura contra Euskal Herria», de Ricard Salom


A tortura existe porque se esconde e silencia. Através de um conjunto de entrevistas, vamos explicar os mecanismos que possibilitam a prática da tortura contra o povo basco. Este documentário pretende mostrar a existência desta realidade, como um primeiro passo para a sua erradicação (Ver: SareAntifaxista)

O actor catalão Ricard Salom está a realizar um documentário que aborda a tortura sofrida, ao longo de vários anos, por presos políticos de Euskal Herria. Como enfrenta dificuldades económicas para concluir o trabalho, deu-se início a uma campanha para o financiar. (Ver: BilboBranka)

Venezuelarekin elkartasuna! Solidaridad desde Euskal Herria con Venezuela!

Nos unimos al pueblo venezolano para alzar la voz y enaltecer el ideal bolivariano hoy Día de la Solidaridad Mundial con la Revolución Bolivariana.

Nosotras/os, luchadoras/es por la igualdad y solidaridad entre los pueblos del Mundo desde Euskal Herria, nos unimos al pueblo venezolano para alzar la voz y enaltecer el ideal bolivariano hoy Día de la Solidaridad Mundial con la Revolución Bolivariana y el Comandante Hugo Chávez.

La inmensa obra social de la Revolución Bolivariana ha logrado sacar al pueblo venezolano de la postración transcendiendo las fronteras nacionales y recuperando la independencia política. Este proyecto histórico liderado por Hugo Chávez ha conseguido, entre otros logros, el control de los recursos naturales para ponerlos al servicio de la consolidación de la independencia económica, cultural, científica y tecnológica de su pueblo inspirándose en el precepto bolivariano de «producir la mayor suma de felicidad posible, la mayor suma de seguridad social y la mayor suma de estabilidad política».

Es por ello que la solidaridad con Venezuela es un imperativo histórico en tiempos en los que se reclama la participación de los pueblos para transcender los esquemas impuestos por la globalización neoliberal, que han adormecido y empobrecido poblaciones enteras.

Con Bolívar decimos; ¡unidos seremos invencibles!
Bilbao, 24 de julio de 2012

[Ver, na sequência, lista de adesões] / Fonte: askapena.org

Ler ainda: «Carta a Hugo Chávez», de Fidel Castro (boltxe.info)
Honor especial merece el pueblo venezolano por su inmensa capacidad de comprender la hazaña que junto a ti lleva a cabo. No importa que mis mensajes se acumulen, algún día quizás tengan determinado valor como testimonio de esta época singular que ambos pueblos, me atrevería a decir nuestro único pueblo, el de Bolívar y Martí, está viviendo.

Baionako bestak: Officiel ou officieux, le programme des fêtes, accessoire indispensable du bestazale

Le programme officiel des fêtes de Bayonne est disponible à peu près partout dans la ville, entre bars, mairie, offices de tourisme ou commerce. L’officieux sera en revanche un peu plus difficile à trouver. Aussi, pour faciliter la tâche au bestazale en quête d’animations «alternatives», avons-nous recensé les possibilités. Entre peñas, bar associatifs ou locaux artistiques, il n’y en a pas que pour la place de la mairie ou la place Paul-Bert à Bayonne. Loin des grandes scènes et des écrans géants, mais pas loin de la fête, ils sont quelques-uns à proposer «autre chose» pour les fêtes.

L’un de ces lieux, c’est le Patxoki. Ouvert tous les soirs comme le veut sa coutume, il s’essaie à la formule journée pour la première fois cette année en fixant rendez-vous dès 12 heures autour de chants basques et du menu «arraultz ta xingar» (œuf et ventrèche).

A quelques pas de là, place Patxa, les jeunes de Baionako Asanblada (qui militent par ailleurs tout au long de l’année pour doter Bayonne d’un gaztetxe) et le mouvement Herrira ont également leur programme. Le premier rendez-vous, celui d’aujourd’hui, pour le roi Léon, qu’ils souhaitent eux aussi réveiller en euskara. Itinérance le vendredi avec le triki poteo lancé à 18 heures depuis le Kalostrape puis rassemblement sur la place du Réduit à 20h30 en soutien aux prisonniers basques. Retour sur la place Patxa le samedi pour Gazte Eguna. Apérititf et repas de rigueur dès 12 heures avant de laisser place au concert de Mendeku Itxua. / Carole SUHAS / Ver: Lejpb

Ver também: «Milaka lagunek harrera beroa egin diote bestari» (kazeta.info) [sugestão: ler os bertsos que Maddi Sarasua «cantou» na abertura da festa.]

Fotos: Baionako bestak (Berria)

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Oito militantes independentistas serão libertados hoje, sob fiança

O juiz da Audiência Nacional espanhola Javier Gómez Bermúdez decretou a libertação sob fiança de Urko Aierbe, Ugaitz Elizaran, Joxe Aldasoro, Rosa Iriarte, Eneko Compains, Aniaiz Arinabarreta, Erika Bilbao e Egoitz Garmendia, detidos em Setembro de 2010 numa operação que decorreu em Hego Euskal Herria, na Cantábria e em Aragão. Sandra Barrenetxea, também detida na altura, foi libertada em Fevereiro último.

Gómez Bermúdez tomou esta decisão no âmbito de uma audiência destinada a rever o prolongamento da prisão preventiva dos oito militantes, que decidiu não ampliar. Todos eles receberam ordem de prisão do anterior titular do Tribunal, Fernando Grande-Marlaska.

Os oito militantes independentistas foram acusados de pertencer ao Ekin, tendo sido detidos no âmbito de uma operação levada a cabo pela Guarda Civil, sempre com a colaboração da Ertzaintza e uma cobertura mediática in situ. Para efectuar as detenções, o Ministério do Interior espanhol utilizou 300 guardas civis.
Os detidos, que estiveram incomunicáveis em sede policial, denunciaram ter sido submetidos a torturas brutais. / Fonte: naiz.info / Ver: Berria [Ongi etorri, Aniaitz, Egoitz, Eneko, Erika, Joxe, Roxika, Ugaitz eta Urko!]

Recepção a Gorka Mayo, ontem, em Barañain

Ongi etorri! / Fonte: ateakireki.com

Em Arrasate, pediu-se a liberdade do preso político Josu Uribetxeberria
O movimento Herrira pediu a liberdade do preso político Josu Uribetxeberria, numa manifestação que ontem se realizou na sua terra natal - Arrasate (Gipuzkoa). Recorde-se que Uribetxeberria têm um nódulo num pulmão e que o seu estado de saúde piorou nas últimas semanas, de tal forma que teve de ser levado por funcionários da prisão para o hospital de León (Espanha).

No texto lido na manifestação, o Herrira disse que o preso basco «é um exemplo claro da política prisional espanhola», porque «manter na prisão uma pessoa com uma doença assim tão grave é uma decisão sem qualquer humanidade», que «vai contra todos os direitos humanos».
O representante do Herria também abordou a questão dos catorze presos políticos com doenças graves, sublinhando como «o Governo espanhol os está a tratar de forma especialmente cruel». (Notícia completa: Gara)

Concentração frente à sede do PP em Iruñea
Na segunda-feira passada, como acontece sempre neste dia da semana, realizou-se uma concentração frente à sede do PP em Iruñea, na qual participaram 76 pessoas, para reivindicar o direito dos presos a viver em Euskal Herria. Foram estes os lemas: «En la cárcel por su actividad política - Etxean nahi ditugu» / «La dispersión mata - Euskal Presoak Euskal Herrira» (lahaine.org)

Concentração em Gernika
Também na segunda-feira, 51 pessoas concentraram-se em Gernika (Bizkaia) para protestar contra a extradição de Eneko Goieaskoetxea. (Gara)

Brinde nas festas de Gares
No âmbito das festas de Gares (Nafarroa), ontem houve um brinde popular às presas e aos presos políticos, apesar de a associação de extrema-direita Dignidad y Justicia o ter tentado proibir, apresentando uma queixa na AN espanhola. Também pelos presos, na sexta-feira, às 21h00, haverá uma concentração na praça, sob o lema «Jaietan ere euskal presoak gogoan». (Gara)