terça-feira, 31 de maio de 2011

O cabeça-de-lista do PSOE em Uharte é julgado hoje, acusado de agredir um menor de idade

Koldo García Izaguirre, número 1 da lista do PSOE em Uharte (Nafarroa), vereador eleito da localidade e guarda-costas de profissão, será julgado hoje na Audiência Provincial de Iruñea. Foi constituído arguido por ter participado nas agressões a um jovem nas festas de San Fermin do ano passado, incorrendo na prática do crime de ofensas corporais.

Os factos deram-se no bar Estadium, junta à Praça dos Foros (Iruñea, EH), na noite de 11 de Julho de 2010, depois da final do Mundial de Futebol. Na praça, havia um concerto de rock e o agredido, na altura menor de idade, acompanhou a sua companheira ao bar para que esta fosse à casa de banho. O rapaz ficou à espera no balcão, e, nessa altura, um grupo de pessoas começou a provocá-lo por levar uma T-shirt com a palavra «Independentzia». O bar, que fica em frente ao comando da Guarda Civil da Avenida da Galiza, é frequentado por guarda-costas e membros das Forças de Segurança do Estado.

De acordo com o relato das testemunhas, o menor foi rodeado por várias pessoas, que o atiraram para o chão e lhe começaram a dar pontapés e socos. Depois, puxaram-no para fora do bar e continuaram a bater-lhe na rua, mais exactamente no exterior do bar Sol, que fica junto ao anterior. O episódio foi visto por muita gente, pois o bar estava cheio a essa hora, e foram precisamente as testemunhas que conseguiram resgatar o jovem da mãos dos agressores, quando estava quase inconsciente.

O jovem, que teve de ser conduzido a um centro hospitalar, acabou por ser detido pela Guarda Civil, acusado do crime de enaltecimento do terrorismo. Não obstante, as testemunhas desmentiram a versão dos agentes e a acusação foi arquivada.

Condenado em 1995 e indultado no ano seguinte
Koldo García Izaguirre terá no banco dos réus a companhia de um agente da Polícia Nacional espanhola, que também será julgado por estes factos. O cabeça-de-lista do PSOE em Uharte já foi condenado, em 1995, por ofensas corporais, a dois anos e quatro meses de prisão, tendo sido indultado pelo Conselho de Ministros no ano seguinte.
Fonte: ateakireki.com

«O PSOE deverá esclarecer se estas atitudes têm o consentimento do seu partido»
Perante o julgamento acima mencionado, o Movimento pró-Amnistia emitiu uma nota de imprensa em que expressa a sua solidariedade ao jovem, salientando que esta agressão «teve uma clara conotação ideológica» e lembrando que nas festas de San Fermin do ano passado foram várias as pessoas que denunciaram ocorrências similares.
Para o Movimento pró-Amnistia, todas estas denúncias são reveladoras do papel que as Forças de Segurança do Estado e os guarda-costas desempenham hoje em dia em Euskal Herria. «São corpos militares para reprimir o independentismo, e muitos dos seus membros acabam envolvidos em acções de guerra suja e agressões contra militantes abertzales».
«O caminho para um cenário de paz e soluções democráticas também passa pela saída de Euskal Herria de todos os corpos repressivos do Estado, na medida em que são um agente contrário ao processo de normalização política no nosso país», acrescentam.

Depois de lembrar que Koldo García Izaguirre já foi condenado em 1995 por ofensas corporais, «agora que foram conhecidas estas novas acusações», consideram que o PSOE deve esclarecer se as atitudes do seu candidato têm o aval e o consentimento do seu partido.
Por último, e tendo em conta que é um vereador que vai ser julgado apenas por ofensas corporais, perguntam qual teria sido a acusação e em que tribunal teria lugar o julgamento se os factos tivessem acontecido «ao contrário».

Foto de cima: Koldo García, primeiro à esquerda, num acção de campanha eleitoral com elementos do seu partido

Foto de baixo: Nas festas de San Fermin do ano passado, houve múltiplas agressões por parte de «incontrolados»

O Bildu pede ao PNV que respeite «a vontade de mudança» manifestada em Gipuzkoa

Martin Garitano, cabeça-de-lista do Bildu em Gipuzkoa, transmitiu ao PNV que cabe à coligação abertzale liderar «o governo de mudança» no herrialde, depois de ter obtido 22 eleitos para as Juntas, e pediu-lhe que respeite a vontade manifestada pela sociedade guipuscoana e «não coloque entraves à chegada do novo tempo político».

Martin Garitano, candidato a deputado general, esteve acompanhado por membros da sua equipa, os eleitos para as Juntas Ander Rodríguez e Iñaki Agirrezabalaga, Lohitzune Txarola e Idoia Ormazabal, tendo-se reunido com representantes do PNV em Donostia durante cerca de uma hora.

Da parte do PNV estiveram presentes os membros da Comissão Executiva do GBB, Joseba Egibar, Xabier Barandiaran, Jon Jauregi e Bakartxo Tejeria. O Bildu tinha solicitado também a presença do deputado geral em funções, Markel Olano, mas este não assistiu à reunião, segundo Joseba Egibar, por ser uma reunião do partido.

Através de uma nota, o Bildu explica que Garitano transmitiu ao PNV que cabe à coligação abertzale liderar o governo de mudança em Gipuzkoa, um governo que concretize a transformação política e social que os guipuscoanos e a as guipuscoanas reclamaram com o seu voto».

Por isso, pediram à força jeltzale que « a vontade manifestada pela sociedade guipuscoana não coloque entraves à chegada do novo tempo político, necessária tanto neste território como em Euskal Herria no seu todo».

O Bildu também mostrou vontade de que estes contactos «propiciem a adesão do PNV ao novo processo iniciado em Euskal Herria na busca de um cenário de paz e normalização política».

Garitano manifestou ainda a sua vontade de «levar por diante essa mudança de ciclo político em Gipuzkoa cumprindo fielmente o seu programa eleitoral, apoiado de forma maioritária pelos cidadãos».

De acordo com a nota do Bildu, ambos os partidos constataram «as diferenças programáticas existentes», embora Garitano tenha ressaltado que a aposta do Bildu continua a ser a da «liderança da mudança em Gipuzkoa a partir do diálogo com as restantes forças políticas».

O Bildu e o PNV decidiram manter «uma interlocução fluida e continuar abertos a futuros contactos».

Na sequência [Hoje, com o PSE]
Notícia completa: Gara / Notícia actualizada: Gara

Txelui Moreno: leitura dos resultados eleitorais (Info7 Irratia)
O porta-voz independentista faz uma leitura dos resultados das eleições de 22 de Maio e afirma que o Bildu, com os seus 315 000 votos, «forneceu o combustível de que o processo necessitava para seguir em frente».

«El 22M, viejos retratos y nuevas exigencias», de Ángeles MAESTRO (kaosenlared.net)

«Delegar en democracia», de Fermin GONGETA, sociólogo (boltxe.info)

A Audiência Nacional começará a julgar o chamado «caso Bateragune» a 27 de Junho

No banco dos réus estarão Arnaldo Otegi, Rafa Díez, Miren Zabaleta, Sonia Jacinto, Arkaitz Rodríguez, Txelui Moreno, Amaia Esnal e José Manuel Serra.


A Audiência Nacional espanhola começará a julgar no dia 27 de Junho o chamado «caso Bateragune». No banco dos réus estarão sentados os dirigentes independentistas Arnaldo Otegi, Rafa Díez, Miren Zabaleta, Sonia Jacinto, Arkaitz Rodríguez, Txelui Moreno, Amaia Esnal e José Manuel Serra, que foram detidos a 13 de Outubro de 2009.

De acordo com informações veiculadas pelo tribunal especial espanhol, a audiência oral foi marcada para os dias 27, 28, 29 e 30 de Junho, e 1, 4, 5, 6 e 7 de Julho. Os oito arguidos serão julgados no âmbito do chamado «caso Bateragune», que, para a AN espanhola, funcionava como «órgão de construção do pólo soberanista sob o controlo da ETA».

A Procuradoria espanhola pede 10 anos de prisão para Otegi, Díez e os outros seis arguidos, acusando os oito independentistas da alegada prática do crime de «integração em organização terrorista» por promoverem «uma aliança independentista que tinha por finalidade apelar à incorporação de forças políticas como Eusko Alkartasuna, Aralar, Abertzaleen Batasuna e ELA no espaço de luta no confronto entre Euskal Herria e o Estado».

Os oito bascos serão julgados pelo tribunal composto pelos magistrados Ángela Murillo, Teresa Palacios e Juan Francisco Martel.
Fonte: Gara

Ver também: «Oito bascos vão a julgamento por fazerem política» (boltxe.info)

Centenas de pessoas pedem em Arbizu a libertação de Jesus Mari Mendinueta

Centenas de pessoas manifestaram-se este domingo em Arbizu para reclamar a libertação de Jesus Mari Mendinueta, Poixtina, habitante desta localidade de Sakana que devia ser libertado em Agosto, mas a quem foi aplicada a sentença 197/2006 do Supremo Tribunal espanhol, prolongando-lhe a pena até Agosto de 2021.
A mobilização, que tinha à frente uma faixa em que se podia ler «Biziarteko zigorrik ez. Zigorra bete duten presoak aske» (Não à pena perpétua. Liberdade para os presos com a pena cumprida) e uma foto de Mendinueta, terá continuidade numa viagem que os seus conterrâneos farão no próximo fim-de-semana à prisão de Castelló (a 550 km de Sakana) para reclamar a sua libertação.
A manifestação de Arbizu e a viagem a Castelló foram convocadas pela iniciativa Egin Dezagun Bidea, que exige o respeito pelos direitos dos presos políticos bascos e o seu reagrupamento em Euskal Herria, como primeiro passo para a amnistia e o regresso a casa de todos os presos. No próximo fim-de-semana, para além da comitiva que partirá de Arbizu com destino à prisão de Castelló, uma outra sairá de Laudio (Araba) com destino a Herrera de la Mancha, onde está preso Pablo Gorostiaga, para denunciar a dispersão.
Mendinueta é um dos seis presos navarros que deviam estar em liberdade, mas que viram a pena prolongada devido à aplicação da sentença 197/2006 do Supremo Tribunal. São Iñaki Erro (Donibane, Iruñea), Inés del Río (Tafalla), Jokin Sancho (Alde Zaharra, Iruñea), Iñaki Urdiain (Barañain) e Bautista Barandalla (Etxarri-Aranatz). Os habitantes de Donibane estão a preparar mobilizações para reclamar a liberdade de Erro.
Em toda Euskal Herria, há dezenas de presos que já deviam ter saído da prisão, mas cuja pena foi aumentada, continuando encarcerados.
Por outro lado, cerca de 200 pessoas participaram, em Eskoriatza (Gipuzkoa), na cerimónia de boas-vindas a Mikel Illarramendi, recentemente libertado.
Notícia completa: Gara / Fotos de Arbizu: ateakireki.com

Um mar de gente no Elkartasun Eguna de Azpeitia
No sábado, foi Dia da Solidariedade em Azpeitia (Gipuzkoa), que ficou marcado pela grande manifestação que, à tarde, percorreu as ruas da localidade e na qual cerca de 1000 pessoas reclamaram os direitos dos presos políticos bascos.
Antes da manifestação, houve muitas outras iniciativas e actividades, como uma corrida, em que participaram 300 pessoas, um almoço popular (para o qual foram vendidas 650 entradas) e provas de desportos rurais bascos.
À noite, na Herriko Plaza, houve concertos musicais, com a participação das bandas Egurra ta Kitto! e Arkada Social.
Notícia completa: askatu.org / Fotos: uztarria.com

Manu Ugartemendia foi posto em liberdade, depois de extraditado por Paris
O preso de Orereta (Gipuzkoa) cumpriu a pena a que foi condenado no Estado francês no dia 13 de Maio, tendo sido mantido desde então num centro de retenção pelas autoridades francesas.
Ontem de manhã, depois de ter sido extraditado para o Estado espanhol, Ugartemendia chegou ao aeroporto madrileno de Barajas, onde o deixaram seguir em liberdade, segundo fez saber o Movimento pró-Amnistia numa nota de imprensa.
Ugartemendia foi preso em 28 de Abril de 2005 pela Polícia francesa e condenado a oito anos de prisão.
Fonte: kazeta.info / Deve ter havido festa em Orereta! ADI EGON!

Dezenas de ciclistas, na marcha contra o TGV entre Castejón e Iruñea

Dezenas de pessoas concluíram no domingo a marcha ciclista contra o TGV, organizada pela plataforma Mugitu!, que no sábado tinha partido de Castejón.
No acto que pôs um ponto final à iniciativa, afirmou-se que esta grande infra-estrutura necessita de um investimento de 3000 milhões de euros, o que equivale a todo o orçamento do Governo de Nafarroa para um ano.
Neste sentido, rejeitaram a ideia de que num período de crise económica, quando estão a ocorrer cortes em áreas sociais, o Governo de Nafarroa vá investir essa verba na construção de um comboio que não responde às necessidades reais dos cidadãos do herrialde, na medida em que foi exclusivamente concebido para que as elites políticas e económicas se desloquem mais rapidamente até Madrid.
Fonte: Gara

Ver também: «Marcha de bicicleta. TGV não deixemos que arranque!» (ekinklik.org via kaosenlared.net)

Oreka TX


Actuação dos Oreka TX, grupo criado em 1997 pela dupla donostiarra Harkaitz Martínez e Igor Otxoa.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

O Bildu reúne-se entre hoje e quarta-feira com os partidos políticos com representação em Donostia e nas Juntas Gerais de Gipuzkoa

O Bildu vai manter, entre hoje e quarta-feira, uma ronda de conversações com os restantes partidos políticos que obtiveram representação nas Juntas Gerais de Gipuzkoa. O PP recusou qualquer reunião com membros da lista da coligação soberanista, segundo fez saber o Bildu num comunicado.

O candidato a deputado geral Martin Garitano, acompanhado por membros da sua equipa, como os eleitos para as Juntas Ander Rodríguez e Iñaki Agirrezabalaga, deve reunir-se entre segunda e quarta-feira com o deputado geral ainda em funções, Markel Olano, com o candidato do PSE, Miguel Buen, e com a porta-voz do Aralar, Rebeka Ubera.

Segundo referiram, o candidato do PP, Juan Carlos Cano, recusou reunir-se com membros da lista do Bildu em Gipuzkoa.

Durante os encontros, Martin Garitano irá expor a «sua análise dos resultados eleitorais e apresentar os pontos fundamentais do seu programa às restantes forças políticas do território, expressando a vontade de criar vias de colaboração e diálogo permanente ao longo da legislatura».

[Ver, na sequência: O PSE pressiona o PNV para um pacto global / Ernesto Gasco, candidato a Donostia]
Notícia completa: Gara / Sobre afirmações recentes de J. Egibar, ver: Gara

Análises, na sequência das eleições de 22 de Maio:
«A mensagem do Bildu atraiu mais de 70 000 novos votos», de Ramón SOLA (Gara)

«A política prisional também perdeu nas urnas», de Ramón SOLA (Gara)

Editorial: «El 22-M cambia la fotografía institucional y da un fuerte impulso al nuevo ciclo político» (Gara)

Outras leituras:
«¿Por qué y cómo debemos organizarnos?», de Iñaki Gil de SAN VICENTE, pensador marxista (insurgente.org)

«Señorías, 315.000 son muchos terroristas», de Josu IRAETA, escritor (boltxe.info)

«El retorno del paradigma Lemoniz», de Floren AOIZ, escritor (Gara)

«¡Que viene Bilduuuu!», de Fede de los RÍOS (Gara)

«Bildu», de Cristina MARISTANY, escritora (boltxe.info)

Remando em prol do euskara, milhares de pessoas em Ondarroa

Com o sol a ajudar, muitos milhares de euskaltzales deslocaram-se até Ondarroa para participar na Ibilaldia, a festa das ikastolas da Bizkaia, que este ano foi organizada pelas ikastolas Zubi Zaharra, de Ondarroa, e Resurreccion Maria Azkue, de Lekeitio. Como ambas são de municípios costeiros, o lema deste ano era «Rema» em defesa do euskara.

Os organizadores preparam cinco áreas ou espaços para um giro de um dia inteiro: Zubi Zahar herri ikastola, Alleri Zaharra, Alleri, Zaldupe e Musika plaza/Alameda. Os nomes dos locais estão relacionados com o vocabulário genuíno de Ondarroa, o mar e a pesca.

Ao todo, o percurso tem 5400 metros. As últimas três áreas eram especialmente dedicadas à juventude. Já os primeiros dois tinham um ambiente mais familiar, sendo que no segundo estavam os Irrien Lagunak (palhaços).
Ao longo do trajecto, havia animações de rua, actuações musicais e variadíssimos tipos de espectáculos.

Concertos musicais à tarde
O programa da tarde tinha como ponto forte as actuações de grupos como os Gose, Oihan Vega DJ, Des-kontrol, Ze Esatek, Esne Beltza, Pantxoa eta Peio ou os Zea Mays, mas era ainda possível encontrar e escolher muitas outras actividades.

Como é habitual, as autoridades estiveram na cerimónia de abertura, logo de manhã cedo. Assim, além dos representantes políticos municipais, estiveram também presentes representantes da associação de ikastolas, bem como Andres Urrutia, da Euskaltzaindia, entre outros.
O Governo de Lakua fez-se representar por Isabel Celaá, conselheira da Educação, e Blanca Urgell, conselheira da Cultura. Da mesma forma, a Deputação Foral da Bizkaia esteve representada por Josune Ariztondo, Deputada da Cultura.
Notícia completa: Gara


Fotos: actos, homenagens, etc.

Prolongaram a pena de prisão a Elias Fernandez

Na sexta-feira, dia em que o preso natural de Bermeo (Bizkaia) era para sair da prisão de Villabona (Espanha), a Audiência Nacional espanhola aplicou-lhe a doutrina Parot, aumentando-lhe a pena em três anos, que deve cumprir até 2014. De acordo com o Movimento pró-Amnistia, a companheira do preso pediu o habeas corpus, sendo que o advogado iria apresentar ontem o recurso. De Bermeo, deslocaram-se até à prisão 30 pessoas, que esperavam Elias à porta para lhe darem o ongi-etorri.
Com o objectivo de denunciar a «doutrina das "penas perpétuas"», foi convocada para o próximo o sábado uma manifestação em Bermeo. «Da parte do Movimento pró-Amnistia, queremos expressar toda a nossa solidariedade ao Elias e aos seus familiares. Mais uma vez, aplicaram a pena perpétua a um preso político basco. Ainda por cima, o facto de deixarem a decisão para o último dia revela bem a dimensão da crueldade contra os presos políticos bascos».
Fonte: Berria

«Km-0. As mil faces da dispersão». Familiares e amigos de presas e presos bascos na estrada
Km-0. Sakabanaketaren mila aurpegiak é um projecto documental, que conta as histórias de pessoas como Haizea, Felipe, Nekane, Oier ou Asier, durante as deslocações que têm de fazer às prisões dos estados espanhol, francês e português, para visitar os seus seres queridos. O objectivo principal de Km 0 consiste em aproximar o conjunto da sociedade basca e internacional a uma realidade desconhecida de muitos: a dispersão e as suas consequências. Este vídeo faz parte de um projecto mais amplo. O projecto será apresentado no Plateruena Kafe Antzokia, em Durango (Bizkaia), no dia 5 de Junho.
Notícia completa: altzoan.com
Mergulho massivo pelo diálogo e o acordo no Portu Zaharra de Algorta
No Porto Velho de Algorta, centenas de pessoas, tanto em terra firme como na água, reivindicaram o diálogo e o acordo para avançar em direcção a um cenário em que todos os direitos sejam respeitados, incluindo os dos perseguidos políticos. Cerca de 150 surfistas que participam na iniciativa Itsasoruntz foram capazes de desenhar no mar, com os seus corpos e as pranchas, um mapa de Euskal Herria com uma flecha vermelha e uma grande onda, símbolo dessa iniciativa popular. Ver: Gara / Foto: SareAntifaxista

Faixa pelos presos no dia da Alde Zaharra de Iruñea

Auzoko presoak etxera = Os presos do bairro para casa
Fonte: ateakireki.com

Os EHL Argentina aderem à iniciativa solidária com os presos da última sexta-feira de cada mês
Coincidindo com as concentrações realizadas pela Etxerat (a associação basca de familiares de presas e presos políticos bascos) nas últimas sextas-feiras de cada mês, em Buenos Aires foi realizada uma convocatória para a Rua Florida, uma via pedonal a poucos metros da Praça de Maio.
A iniciativa, convocada pelas Amigas e Amigos do Povo Basco (Euskal Herriaren Lagunak, da Argentina), consistiu na recolha de assinaturas e na divulgação de um documento em que se descreve de forma sucinta a situação que o povo basco vive na sua luta pela Independência. Neste caso, um dos grupos que fazem parte dos EHL Argentina - Convocatoria por la Liberación Nacional y Social - exibiu várias ikurriñas e uma bandeira exigindo o regresso dos presos e presas a Euskal Herria, bem como a foto de vários militantes bascos detidos.
A iniciativa teve grande aceitação entre os inúmeros transeuntes que, por volta do meio-dia, andam pelo centro da cidade, sendo que muitos deles deram a sua assinatura e ficaram a par da situação que os detidos políticos bascos atravessam, expressando também a sua solidariedade com a luta independentista em Euskal Herria. Convém lembrar que na Argentina vivem cerca de 3 milhões de descendentes bascos.
Para além disso, através de um megafone, pediu-se aos cidadãos argentinos que exijam ao Governo espanhol que cesse a repressão sobre o povo basco e também foram ditas palavras de ordem em defesa dos jovens catalães que acampavam nas praças de Barcelona e que na sexta-feira foram duramente espancados pela Polícia.
Os militantes dos EHL Argentina confirmaram que este tipo de acções reivindicativas pelos presos bascos se irá repetir em Buenos Aires nas últimas sextas-feiras de cada mês.
[Ver, na sequência, «Depois da concentração na Rua Florida, festejo e vídeo-conferência na Taberna Txindoki»]
Notícia completa e fotos: askapena.org

Centenas de pessoas evocam as vítimas do franquismo em Ezkaba e Etxauri

Tasio (Gara)
Centenas de pessoas juntaram-se ontem no monte Ezkaba, em Iruñea, para evocar e homenagear as pessoas que morreram fuziladas no presídio militar franquista ou por causa das duras condições que os reclusos ali enfrentavam, muitos dos quais se encontram enterrados no «cemitério das garrafas», ali próximo.

Este ano, no decorrer da homenagem, houve uma menção especial a Rogelio Diz e Abel Salvador, recentemente falecidos e cujas fotografias estiveram presentes durante a oferenda floral.

Também foram entregues aos familiares os restos de dois dos exumados no «cemitério das garrafas», assim chamado porque entre as pernas do falecido era colocada uma garrafa com os seus dados pessoais - o que está a permitir agora a identificação dos restos.
Trata-se dos restos de um natural de Guadix (Granada), Antonio Raya López, cujos familiares se deslocaram desde Barcelona, e de um homem natural de Xátiva (Valência), José Fuster Marcarós, cujos restos foram recolhidos pelo seu filho.

Também estiveram presentes na homenagem de ontem familiares de presos cujos restos tinham sido exumados anteriormente e que se deslocaram de sítios como Cáceres, Galiza, Madrid e Orihuela.
Estiveram também neste acto, pela primeira vez, os familiares de Valentín Lorenzo, um dos três presos que conseguiram escapar do forte e atravessar a fronteira com o Estado francês, que foi possível contactar há alguns meses.

Também em Etxauri
Em Etxauri, também em Iruñerria, teve lugar um outro acto em memória das vítimas do franquismo, no qual participaram centenas de pessoas.
Depois da homenagem, foi inaugurado um monólito em memória das vítimas do regime totalitário.
Fonte: Gara / Ver também: SareAntifaxista

«1512an konkistatuak, 2012an bizirik» / Em 1512 conquistados, em 2012 vivos

A iniciativa 1512-2012 Nafarroa Bizirik está a organizar um festival para o dia 5 de Junho, que juntará a reivindicação e a festa. O lema do encontro será «1512an konkistatuak, 2012an Bizirik!».

No espaço da festa, que irá decorrer na Parte Velha de Iruñea, haverá diferentes zonas. Uma delas será dedicada à história e à memória, e nela se juntarão editoriais e grupos sociais que trabalham nessas áreas (Pamiela, Txalaparta, Nabarralde, Eguzki Bideoak, Ahaztuak, Euskal Memoria…). Noutra zona, os txikis da casa poderão divertir-se com jogos, espaços preparados para eles, danças... Numa outra área, o protagonismo será dado ao desporto rural, e na última zona poderemos ouvir em directo diferentes grupos que participaram na colectânea musical relacionada com a Conquista de Navarra (Siroka, Los Zopilotes Txirriaos, Skatu, El trono de Judas, Ipar Folk…).

O encontro terá início às onze da manhã com uma kalejira festiva, que irá atravessar diversas ruas da Alde Zaharra e na qual participarão zancos, kilikis, gaiteros, zanpantzar, dantzaris... Às 13h30 terá lugar o acto central, que incluirá uma pequena homenagem aos historiadores que trabalharam e trabalham pela recuperação da história do nosso povo. Depois, seguir-se-á o almoço.

Sobre esta festival, ver notícias também em Gara e nabarreria.com

sábado, 28 de maio de 2011

Convocam um fechamento de cinco dias em Donostia contra a criminalização da juventude independentista

Dezenas de jovens que nos últimos anos foram detidos e encarcerados no âmbito das operações policiais contra a juventude independentista basca deram uma conferência de imprensa esta manhã, em Usurbil (Gipuzkoa), para dar conta do fechamento que vão empreender em Donostia entres os dias 6 e 10 de Junho.

Na conferência de imprensa, altamente participada e na qual também estiveram presentes familiares e representantes de diversas organizações, foi lido um manifesto. Nele, lembram que «chama bastante a atenção o facto de que desde 2009, quando a esquerda abertzale apostou na abertura de um processo democrático, tenham sido detidos 100 jovens – 230 em três anos –, 90 dos quais foram encarcerados, tendo pelo menos 64 deles denunciado maus tratos durante o período de incomunicação».

«É o regime de incomunicação que torna possível a tortura, precisamente. A Polícia utiliza o período de incomunicação com um objectivo claro: por um lado, procuram que o detido se dê como culpado e, por outro, procuram os nomes de jovens e companheiros que estão na rua. São impressionantes as longas listas negras que criaram tendo por base estas torturas», afirmaram.

Esne Beltza, Betagarri, Ze Esatek!...
«Por sonhar com a independência e o socialismo, ou por lutar a favor de um país livre e mais justo, somos perseguidos. Todas estas operações têm um claro objectivo: fazer alastrar o medo entre a juventude e a desactivar a dissidência política», referiram na conferência de imprensa de Usurbil.

Assim, defendendo a sua militância política, insistiram na ideia de que «os jovens de Euskal Herria não estão dispostos a silenciar a sua actividade política».

E, nesse contexto, anunciaram que os jovens que foram alvo de criminalização, juntamente com diversas organizações, vão participar num fechamento em Donostia, de 6 a 10 de Junho, como forma de protesto. E no dia seguinte, 11 de Junho, em Usurbil, haverá um acto político, e concertos a partir das 18h30 no frontão municipal.
Entre outros, estarão presentes os grupos musicais Esne Beltza, Betagarri, Kaotiko, Vendetta e Ze Esatek!.
Fonte: Gara
Ver também: «Moradores e moradoras da Txantrea (Iruñea) exigem o fim das listas negras e da perseguição política» (ateakireki.com)

LAB Sindikatua: a esquerda independentista triunfa e arrasa nas eleições de 22 de Maio no País Basco

Aos nossos companheiros e companheiras de outros sindicatos e Povos do mundo:
Tal como prevíamos, na mensagem que vos enviámos há duas semanas, a esquerda independentista basca, que se apresentou com o nome de «Bildu (Unir)», alcançou um êxito sem precedentes nas eleições realizadas no País Basco no passado dia 22 de Maio. E isso, apesar de mais de 60 000 bascos e bascas continuarem a não se poder apresentar como candidatos, numa clara violação dos seus Direitos civis e políticos por parte do Estado espanhol.

Eis alguns dados do «Bildu» nas eleições do dia 22 de Maio:
- O Bildu alcança 314 996 votos e a percentagem de 22,28% de todos os votos emitidos.
- Nos municípios, obtém 1138 vereadores. É a primeira força em número de vereadores no País Basco.
- É a força mais votada em mais municípios. Concretamente, ganhou em 113 municípios do País Basco, seguido do PNV (partido basco de direita), que venceu em 98.
- É a segunda força mais votada no País Basco, só superada pelo PNV, com apenas 18 000 votos de diferença.
- É a força mais votada, com uma grande margem de diferença, na província de Gipuzkoa, e na autarquia de San Sebastián – Donostia.

Da parte do LAB, saudamos as trabalhadoras e os trabalhadores e sectores populares que tornaram possível este triunfo.

Para além disso, consideramos que o êxito do «Bildu» é um avanço nas lutas que o povo trabalhador basco está a empreender nestes tempos de crise capitalista, um passo em frente na luta pelo Socialismo e pela Independência do País Basco.

- Mais informação nos seguintes links:
http://www.gara.net/
http://bildu.info/es/

Gora Euskal Herria askatua eta sozialista!! = ¡¡Viva el País Vasco libre y socialista!!

Secretaria Internacional da central sindical basca LAB

[Na sequência, versão em inglês e francês.]
Fonte: boltxe.info

Leituras


«La paz desapacible», de Antonio ALVAREZ-SOLÍS, jornalista (Gara)


«Por una democracia real, por una Memoria Histórica realmente democrática», de Ahaztuak 1936-1977 (lahaine.org)


«Jueces turcos», de Jose Mari ESPARZA ZABALEGI, editor (boltxe.info)


«Donostia, capital cultural», de Jakue PASCUAL, sociólogo (Gara)

A Egin Dezagun Bidea convoca uma manifestação nacional e uma jornada festiva para 12 de Junho em Bilbo

A iniciativa Egin Dezagun Bidea anunciou na quinta-feira uma manifestação nacional em defesa dos direitos dos presos políticos bascos para o próximo dia 12 de Junho em Bilbo. Partirá às 12h30 do Museu Guggenheim e terá como lema «Eskubide guztiekin, euskal presoak Euskal Herrira» (com todos os direitos, os presos bascos para o País Basco).
No final da manifestação haverá uma jornada festiva, que se prolongará durante pelo dia fora no molhe do Arenal. No dia 4 de Junho, a iniciativa dará a conhecer todos os detalhes relacionados com a jornada reivindicativa no Plateruena, em Durango.

Itsasoruntz em Algorta
Hoje, outra jornada reivindicativa terá lugar no Portu Zaharra de Algorta (Getxo), com o lema «Prozesuaren alde busti zaitez» (molha-te pelo processo). Tal como o fez há cinco anos, o movimento cívico Itsasoruntz convida os cidadãos a mergulhar para reclamar uma solução dialogada e sem exclusões.
A partir das 11h00 haverá txalapartaris, e actuações diversas, como o palhaço Porrotx, os bertsolaris Jone Uria, Arrate Illaro e Jon Maia, e ainda o grupo Gibel Urdiñek. O escritor Unai Elorriaga terá a responsabilidade de lançar a mensagem central da jornada, que defende «o diálogo plural e o acordo».
Na sua estreia, a iniciativa popular conseguiu juntar cerca de 300 pessoas, que mergulharam desenhando uma flecha a favor do repatriamento dos presos. Agora, pretendem reunir 500 pessoas, que irão desenhar na água o logótipo da Itsasoruntz.

Iniciativas pelos presos
Sob o lema «Euskal presoak lantokietara» (os presos bascos para os locais de trabalho), o sindicato LAB, coincidindo com a última sexta-feira do mês, irá levar a cabo mobilizações em empresas ou locais de trabalho de Oarsoaldea, Urola-Kosta, Donostialdea (regiões de Gipuzkoa) e Leitza (Nafarroa).

Em Ipar Euskal Herria, iniciava-se ontem a apresentação, no Gaztetxe de Donibane Lohizune, do CD Kantuz, euskal presoak etxerat!, em que participaram numerosos grupos musicais, técnicos, designers, maquetistas e gaztetxes. Algumas das canções têm letra de presos; Aratz Gomez, Gotzon Alkade, Harriet Agirre e Naiara Mallabia, entre outros. Em Zuberoa, é apresentado hoje à noite no bar Zinka, em Maule, e no dia 1 de Junho será no Gaztetxe Bota, na localidade baixo-navarra de Donaixti.
Na quinta-feira também houve mobilizações pelos presos. Em Eibar reuniram-se 85 pessoas, e em Iruñea 24 juntaram-se no bairro de Arrosadia, 52 no de Donibane, 94 no de Iturrama e 60 no da Txantrea. Perto de Iruñea, em Atarrabia, a quarta-feira juntaram-se 58 pessoas.
Fonte: Gara
Xabi de la Maza, em liberdade, depois de pagar 30 mil euros de fiança
O preso Xabi de la Maza, natural de Gorliz (Bizkaia), sairá da prisão de Alacant, depois de pagar a fiança de 30 000 euros que lhe foi imposta. Os seus familiares estavam a fazer os possíveis para apresentar a garantia, de forma que pudesse sair ainda ontem.
Fonte: etengabe

Berri Txarrak - «Libre ©»


«Libre ©», tema do álbum homónimo (2003), desta banda de Lekunberri (Nafarroa, EH).

Hitzak: http http://www.berritxarrak.net/?p=32&lang=eu
Beitu, zenbatu, gehitu / ondokoak baino mugikor txikiago bat / ondokoak baino titi handiagoak / ondokoak baino kotxe azkarrago bat / ondokoak baino modelo berriago bat / ezin esan, ezin egin / ezin pentsa, ezin senti / dena da hemen debekugai

Aske zarete, libre © / zuen kaiola erraldoietan / dena eros daiteke / zuen kaiola erraldoietan / hala ere kexu zara / zure kaiola erraldoi horretan / katez alda dezakezue / zuen kaiola erraldoietan

Beitu, zenbatu, gehitu / ondokoak baino mozkor luzeago bat / atzokoa baino saio kutreago bat / atzokoa baino kantu errezago bat / ondokoak baino gerri argalagoa

ezin esan, ezin egin / ezin pentsa, ezin senti / dena da hemen debekugai

Aske zarete, libre © / zuen kaiola erraldoietan

Beitu, zenbatu, gehitu…

Mundua obratan dago baina guk ez dugu ezer apurtu / eta euria ari du, baina guk ez dakigu nork / eta haizea haserre dago, baina ez dakigu norekin / eta itsasoa? / itsasoa ere haserre dago / eta izen pare bat okurritzen zaizkit / baina isildu egingo naiz demokraziaren izenean

Aske zarete, libre © / zuen kaiola erraldoietan

Letra: http://www.berritxarrak.net/?p=32&lang=es
Mira, cuenta, suma / un móvil más pequeño que los de tu alrededor / unas tetas más grandes que las de tu alrededor / un coche más rápido que los de tu alrededor / un modelo más moderno que los de tu alrededor / no digas, no hagas / no pienses, no sientas / todo es prohibible aquí

Sois libres © en vuestras jaulas gigantes / podéis comprar todo en vuestras jaulas gigantes / a pesar de todo os quejáis / podéis cambiar de canal en vuestras jaulas gigantes

Mira, cuenta, suma / una borrachera más larga que los de tu alrededor / un programa más cutre que el de ayer / una canción más fácil que la de ayer / una cintura más estrecha que las de tu alrededor

no digas, no hagas / no pienses, no sientas / todo es prohibible aquí

Sois libres © en vuestras jaulas gigantes…

El mundo está en obras / pero nosotros no hemos roto nada / y está lloviendo, pero no sabemos quién / y el viento está enfadado, pero no sabemos con quién / ¿y el mar? / el mar también está enfadado / y me vienen a la cabeza un par de nombres / pero me los callaré en nombre de la democracia

Sois libres © en vuestras jaulas gigantes…

sexta-feira, 27 de maio de 2011

O Bildu apoiará as fórmulas que fechem a porta à «direita que nega os direitos a Euskal Herria»

O Bildu anunciou que os seus representantes irão favorecer as fórmulas de Governo que evitem deixar as instituições nas mãos da UPN e do PP e que não vai entrar «no mercado das contraprestações».

Pello Urizar, acompanhado por Oskar Matute e Barkartxo Ruiz, deu uma conferência de imprensa em Donostia, na qual agradeceram à sociedade basca «a confiança que depositaram no Bildu» e «a lição de responsabilidade que deram num momento-chave para o nosso futuro enquanto país».

Segundo ressaltaram, a resposta da sociedade faz que intensifiquem o seu compromisso com «a unidade, para lá de siglas», com a defesa «do exercício do direito a decidir» e também o seu compromisso com «a transformação social».

A sua «obsessão» será, daqui em diante, «prosseguir o trabalho conjunto e não decepcionar quem apostou no Bildu».

«Os 315 000 votos do Bildu serão 315 000 impulsos para conseguir a paz, a normalização política e a mudança social», disse.

Tal como Urizar tinha avançado numa entrevista concedida à ETB algumas horas antes (*), os membros do Bildu reiteraram a ideia de que irão favorecer «as fórmulas de Governo que evitem deixar as instituições bascas nas mãos da direita que nega os direitos políticos individuais e colectivos a Euskal Herria», o que significa que, «sempre que os votos do Bildu o possam evitar, a UPN e o PP não formarão Governo nem nas instituições forais», porque ambos os partidos «negam dois fundamentos essenciais no nosso projecto: a nossa existência como povo e o nosso legítimo direito a decidir e a aposta numa transformação social a partir da esquerda».
Notícia completa: Gara

(*) Numa entrevista concedida à ETB algumas horas antes, divulgada pela agência Europa Press, Pello Urizar afirmou que o Bildu faz «uma aposta clara na mudança tanto a nível político como social» e que, «nessa aposta, o PP não tem lugar em sítio nenhum».
«Mais ainda, seria um estorvo e um obstáculo. Neste sentido, apoiaremos, em todas as instituições, tudo o que se possa eliminar esses obstáculos, politicamente falando».

Expande-se a rede de apoio a Aurore Martin e apela-se à presença em Biarritz

A rejeição do mandado de detenção europeu e a exigência de liberdade para Aurore Martin, bem como do respeito pelos direitos civis e políticos, conta cada vez com mais apoios. Mais de trinta representantes do espectro sindical, social e político de Euskal Herria compareceram perante os órgãos de comunicação social esta quarta-feira, em Baiona, para apelar à intensificação da mobilização e, concretamente, à participação na jornada do próximo dia 18 de Junho em Biarritz.

Anaiz Funosas e Claude Larrieu, em nome do Colectivo contra o Mandado de Detenção Europeu, lembraram que esta iniciativa levou a cabo a sua primeira campanha em 2004, quando a Audiência Nacional espanhola solicitou - pela primeira vez no caso de militantes de «cidadania francesa» - a entrega, via MDE, de três membros da Haika.

Foi nessa altura que se começaram a estabelecer relações e a juntar apoios em diversos sectores, tanto de Ipar Euskal Herria como do Estado francês. Com o caso de Aurore Martin, que classificaram de «emblemático», essa rede expandiu-se de forma notável.

Tanto assim é que na semana passada tornaram público um manifesto cujo primeiro signatário é o escritor e jurista Stéphane Hessel, autor do documento «¡Indignaos!», e que foi também rubricado por mais sessenta personalidades do mundo político e sindical, bem como por representantes de organismos de juristas e de defesa dos direitos humanos.

Também em Euskal Herria
Entretanto, em Euskal Herria as adesões ao manifesto superam já as setenta. Entre elas, encontram-se eleitos do PS como Kotte Ezenarro e Sylviane Alaux; do MoDem como Jean-René Etchegaray; da UMP como o conselheiro Jean Castaings; os autarcas de Senpere e de Urnieta; a ex-conselheira da Educação de Lakua Ángeles Iztueta; jornalistas como Martxelo Otamendi; membros da Anai-Artea, da CDDHPB, Cimade e da Liga pelos Direitos Humanos; de sindicatos como a CGT, Solidaires, LAB e CNT64, alguns dos quais estiveram presentes na conferência de imprensa de Baiona.

Tendo por base o referido manifesto, o Colectivo contra o Mandado de Detenção Europeu organizou a jornada que terá lugar no dia 18 de Junho na Halle d'Iraty, perto do aeroporto de Biarritz.
O programa inicia-se às 10h00 com uma mesa-redonda sobre as leis de excepção e os direitos democráticos. Na parte da tarde haverá outro debate sobre a resolução do conflito político basco, no qual serão intervenientes Véronique Dudouet, membro da Fundação alemã Berghof e especialista na resolução de conflitos; Theresa Ruane, representante do Sinn Féin; Xabi Larralde, do Batasuna, e um membro da Lokarri.

A partir das 18h00 haverá animação musical e infantil e às 19h00 terá lugar o acto político, no qual participarão, entre outros, Michel Tubiana, presidente da LDH, e um membro do Colectivo. A jornada terminará com actuações musicais e concertos.

Arantxa MANTEROLA
Fonte: Gara / Na foto de baixo, o apelo à mobilização em Senpere (Lapurdi). (kazeta.info)

Ver também: «Une forte clameur contre le MAE», de Béatrice MOLLE (Lejpb)

O Estado francês extraditou Aitor Artetxe para o Estado espanhol
Aitor Artetxe Rodriguez, preso político algortarra nascido em Sopela (Bizkaia) foi ontem extraditado para o Estado espanhol, acompanhado por diversos agentes da Polícia Nacional espanhola. Com ele, levaram o tolosarra Gregorio Jimenez Morales para Madrid.
Artetxe foi detido a 8 de Dezembro de 2008 pela Polícia francesa em Gerbe, junto a Bagnères-de-Bigorre (Altos Pirinéus), por suspeita de pertencer à ETA. Mais dois cidadãos bascos foram presos com ele. No princípio de Maio, foi condenado por um tribunal de Paris a três anos de prisão. Entretanto, os tribunais franceses aceitaram um pedido de extradição emitido pelo Governo espanhol contra ele e, uma vez concluída a pena de prisão, ficou assente que Artetxe seria levado para Madrid. (ukberri.net)
Notícia completa: etengabe

Mobilizações em Orereta para denunciar o encarceramento de Iñaki Gracia

Ontem de manhã, o juiz Pablo Ruz deu ordem de prisão ao ex-preso político Iñaki Gracia, segundo divulgaram fontes jurídicas citadas pela agência Efe, que precisaram que este se recusou a depor na presença do juiz, que ontem tinha decretado a sua detenção a instâncias do Ministério Público e na sequência de uma queixa apresentada pela associação Dignidad y Justicia.
Iñaki Gracia esteve na presença do juiz cerca de vinte minutos e foi assistido pela sua advogada de confiança, Ainhoa Baglietto.
Entretanto, em Orereta, estava convocada uma assembleia informativa para ontem às 20h00, na Herriko Plaza; hoje, às 19h30, haverá uma concentração em frente à sede do PSOE. Errepresioa EZ da bidea!
Notícia completa: askatu.org e Gara

Euskal presoak Euskal Herrira! Última sexta-feira do mês
Vídeo realizado em Azkoitia (Gipuzkoa), no qual se faz a convocatória para a participação na mobilização da última sexta-feira do mês. (askatu.org)

O preso Peio Olano foi levado a Lizartza, na sequência da morte da mãe, mas não se pôde despedir dela
De acordo com a nota divulgada pelo Movimento pró-Amnistia, o preso político basco Peio Olano foi transferido da prisão da Jaén para a de Logroño, sendo depois levado para a sua terra. No dia 19, à noite, a Guarda Civil levou-o até sua casa, mas não o deixaram assistir às cerimónias religiosas nem o levaram até ao cemitério, pelo que não foi possível a Peio despedir-se da sua mãe, diz a nota.
Nessa altura, a Guarda Civil andava pelo centro da localidade guipuscoana e montou barreiras no cruzamento de Altzo. O Peio esteve cerca de 30 minutos em casa com a sua família, esposa e filho e, cá fora, vizinhos e amigos transmitiram-lhe o seu calor.
Fonte: askatu.org

«Giza eskubideak, non?» (eus), de Belen ZABALA OLANO, em nome da família de Pello Olano (Gara)

Foi apresentado o UEMA Eguna, que decorre a 4 de Junho


A UEMA (Mancomudidade de Municípios Bascófonos/Euskaldunes), a Câmara Municipal de Bergara (Gipuzkoa) e a Jardun euskara elkartea (associação de euskara Jardun) apresentaram esta quarta-feira o UEMA Eguna, que irá terá lugar no dia 4 de Junho. Todos salientaram o facto de se tratar de um dia especial, por múltiplas razões, como sejam o começo de uma nova legislatura e a «grande aposta» que Bergara fez em prol da UEMA. (Gara / Monika del Valle / Argazki Press)

V edição do Bilbogune e 20.º aniversário do Gazte Lokala de Deustu

Local: Plaza San Pedro, Deustu, Bilbo
Data: Sábado, 4 de Junho de 2011
Hora: 11:00h - 20:00h

O Bilbogune é o mercado dos colectivos, organizações e associações populares da Bizkaia.

Anima zaitez eta zatoz!

Fonte: SareAntifaxista / Mais info: bilbogune_kolektiboen_gunea

quinta-feira, 26 de maio de 2011

O Bildu oferece o seu apoio em Araba a Xabier Agirre (PNV) «sem contrapartidas»

O Bildu afirmou que apoiará a candidatura de Xabier Agirre (PNV) a deputado geral de Araba para «excluir a direita mais retrógrada da Europa do governo das instituições alavesas» e precisou que este apoio não terá «contrapartidas» em Gipuzkoa.


«Regresso ao pacto de Ajuria Enea?», de Iñaki IRIONDO

«O PSN, em compasso de espera até que a Ferraz tome uma posição», de Ramón SOLA

O Bildu ofereceu o seu apoio em Araba ao jelkide Xabier Agirre para impedir que «a direita mais retrógrada da Europa» fique com a Deputação de Araba. A proposta de apoio faz-se «sem condições nem contrapartidas», o que significa que não se está a exigir a participação no governo da Deputação, nem a proposta está relacionada com o que possa acontecer noutros herrialdes, por exemplo, Gipuzkoa.

Kike Fernández de Pinedo, número um da lista para a Câmara Municipal de Gasteiz, e Lorena López de la Calle, segunda na lista para as Juntas Gerais, deram uma conferência de imprensa acompanhados por Itziar Amestoy, Antxon Belakortu e Luis Salgado, para fazer uma avaliação dos «magníficos resultados» obtidos em Araba e agradecer aos cidadãos o apoio dado, que levou o Bildu a ser a terceira força do herrialde.

Tendo em conta a exigência desses cerca de 32 000 votantes, o Bildu coloca os seus onze procuradores nas Juntas Gerais ao serviço da tentativa de impedir que o PP fique com o governo da Deputação. Isto significa que a coligação garante o seu voto a Xabier Agirre no caso de este se apresentar.

Dadas as diferenças programáticas existentes entre Bildu e PNV, não se exige nem se contempla a hipótese de entrar no Executivo que Agirre possa liderar. Questionados pelos jornalistas, disseram que a proposta também não está condicionada pelo que se possa passar em Gipuzkoa, embora, evidentemente, o Bildu defenda que deve governar num território em que foi a primeira força e de forma bastante destacada em relação às restantes candidaturas.
Fonte: Gara / Notícia mais completa: Gara

ADUNA derrubou os fascistas do PP votando em branco
Parecia que o município de Aduna ia ser a segunda localidade guipuscoana a ter um autarca do PP, depois de terem governado em Lizartza durante quatro anos, até estas eleições. A força liderada por Antonio Basagoiti em Euskadi era a única opção de voto nesta pequena terra de 350 habitantes próxima de Andoain e que tinha à frente dos seus destinos a ilegalizada esquerda abertzale. Contudo, apenas conseguiu 12 votos, não atingindo a percentagem necessária de votos válidos - 5% e ficou-se pelos 4,01% - para poder ocupar a autarquia.
A impossibilidade de os independentistas formarem uma lista com candidatos sem ligação ao antigo Batasuna e o firme propósito do PP de se apresentar em todos os municípios gerou esta situação anómala, em que havia uma única lista a concorrer às eleições. Dos 300 habitantes com direito a voto, 287 votaram em branco, sufrágios considerados válidos. Foi uma opção utilizada pelos simpatizantes abertzales para impedir a chegada de um autarca do PP, numa situação em que era o único aspirante ao cargo. Quantos mais votos válidos entram nas urnas, maior é a percentagem necessária para se obter um vereador.
Notícia completa: boltxe.info
Tasio (Gara)

«Primer objetivo cumplido», de Jon MAILUA de la HOZ (lahaine.org)
O BILDU nas instituições será fundamental para acometer uma verdadeira transformação social, assumindo uma função de catalizador da participação social

Análise dos resultados eleitorais por Floren Aoiz (Info7 Irratia)
Floren Aoiz analisa a actualidade política basca, centrando-se no novo mapa político resultante das eleições de domingo passado, sobretudo em Nafarroa.

«Ética de la independencia», de Félix PLACER UGARTE, professor na Faculdade de Teologia de Gasteiz (Gara)
Fez-se uma escolha entre dois modelos radicalmente confrontados: o modelo neoliberal capitalista vigente, com as suas consequências de submissão consumista e dependência do mercado, ou o modelo independentista, que, apresentado com base em propostas socialistas, propugna a passagem a formas de liberdade partilhada e solidária.

O Tribunal de Pau recusa a liberdade provisória a Gorka Betolaza

O Tribunal de Apelação de Pau não concedeu, esta terça-feira, a liberdade provisória a Gorka Betolaza, tendo adiado até 31 de Maio a apreciação do mandado europeu de detenção emitido pelos espanhóis contra ele, de acordo com fontes judiciais citadas pela agência Efe. Betolaza foi detido no dia 18 de Maio pela Polícia francesa em Kanbo (Lapurdi), em função do referido mandado europeu, para que cumpra uma pena de quatro anos a que a AN espanhola o condenou. Enquanto aguarda pela decisão judicial, encontra-se encarcerado na prisão de Seysses, segundo informou o Movimento pró-Amnistia.
Por outro lado, 110 pessoas concentraram-se na terça-feira em frente ao Arriaga, em Bilbo, em defesa dos presos. Na segunda-feira, houve mobilizações em Gernika (51), Bermeo (35), Iurreta (55), Ondarroa (82), Abadiño (14), Euba (18), Zaldibar (19), Zorrotza (24), Otxarkoaga (23), Pasai San Pedro-Trintxerpe (32), Ataun (25), Ordizia (32), Zaldibia (22), Oiartzun (81), Astigarraga (16), Altza (28) e Añorga (19).
Fonte: Gara e askatu.org

Seis pessoas condenadas pelos incidentes numa manifestação a favor dos direitos dos presos bascos
Seis pessoas foram multadas e condenadas a penas de prisão pelo Tribunal de Gipuzkoa, acusadas de provocarem os confrontos que ocorreram na manifestação de 14 de Setembro de 2008, em Donostia, em defesa dos direitos dos presos bascos. O Departamento do Interior de Lakua tinha proibido a marcha, considerando que por trás estavam organizações ilegalizadas. Apesar disso, milhares de pessoas juntaram-se para reclamar os direitos dos presos.
A Ertzaintza não deixou que manifestação se realizasse, e começaram os incidentes. A Polícia deteve cinco pessoas, tendo outras cinco sido imputadas por alegadas multas. O juiz aceitou a versão da Ertzaintza; ou seja, que os manifestantes atiraram cadeiras, garrafas e outras coisas mais contra a Polícia na Alde Zaharra.
De acordo com a agência Efe, os arguidos admitiram em tribunal ter participado nos confrontos, pelo que o pedido da Procuradoria foi aprovado. A pena maior foi de um ano de prisão; a mais pequena, uma multa de 30 euros.
Há um ano, por causa dos incidentes de 2008 outras duas pessoas foram condenadas a um ano e cinco meses de prisão.
Todos os anos, no segundo domingo das Regatas da Kontxa [Kontxako Estropadak], fazia-se uma manifestação em Donostia pelos direitos dos presos. Nos últimos anos, o Governo de Lakua passou a proibi-la.
Fonte: Berria

A Guarda Civil detém o ex-preso político Iñaki Gracia
De acordo com a agência Europa Press, que cita fontes policiais, Iñaki Gracia foi detido ontem pela Guarda Civil, por volta do meio-dia no bairro de Behobia, em Irun (Gipuzkoa). A detenção deu-se quando seguia de carro com um familiar, tendo a Guarda Civil utilizado um helicóptero.
A detenção terá ocorrido depois de a Procuradoria da Audiência Nacional o ter solicitado na terça-feira. As mesmas fontes referem que o tribunal especial espanhol liga o habitante de Errenteria ao sequestro do funcionário prisional José Antonio Ortega Lara, na sequência da reabertura de um processo, em Fevereiro deste ano, a instâncias da Dignidad y Justicia.
Ontem à tarde, vários meios de comunicação espanhóis afirmavam que o detido se encontrava no quartel da Guarda Civil em Intxaurrondo, à espera de ser transferido para Madrid. Entretanto, O Movimento pró-Amnistia já veio informar que será presente a tribunal, amanhã, acompanhado pelo seu advogado.
Gracia foi posto em liberdade em Abril do ano passado, depois de ter cumprido uma pena de dez anos de prisão. Foi detido em 2000 no Estado francês e em 2008 foi extraditado para o Estado espanhol, onde foi encarcerado. O tribunal especial deixou-o em liberdade em 2010, ao considerar que os tribunais franceses já o tinham julgado e condenado no mesmo processo. (Na imagem, o ongi etorri em Orereta, quando da sua libertação.)
Fonte: Gara

Em Bermeo, quatro jovens foram identificados e imputados
No dia 19 de Junho, o bermeotarra Elias Fernandez cumpre 25 anos de prisão e, para assinalar e denunciar esse facto, estão a ser organizadas diversas iniciativas em Bermeo (Bizkaia). Uma delas consistiu em pintar um mural para denunciar a situação de Elias e expressar-lhe solidariedade.
No entanto, de acordo com fontes de Bermeo, o autarca em funções, Xabier Legarreta (PNV), parece não ter gostado do que viu, tendo chamado a Ertzaintza quando os jovens estavam a pintar o mural. Quatro deles foram identificados e imputados.
Fonte: askatu.org

Arnaldo Otegi aske! Arnaldo Otegi livre!
Liberdade para o preso político Arnaldo OTEGI!